Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Reino Unido reforçará sua presença militar no Ártico para se opor à Rússia, diz mídia

O ministro da Defesa britânico, Gavin Williamson, disse que o Reino Unido pretende reforçar a presença militar no Ártico para “proteger” o flanco norte da OTAN das ações da Rússia, segundo o diário The Telegraph.
Sputnik

Segundo o jornal, mais de 1.000 fuzileiros navais da Marinha britânica farão treinamentos anuais com colegas noruegueses no âmbito de um programa previsto para dez anos, formando no futuro próximo um novo destacamento, assinalou Williamson durante uma visita à base militar em Bardufoss, na Noruega.


O ministro britânico mencionou também que o Reino Unido enviará no próximo ano para a região do Ártico um avião de patrulha marítima Poseidon P8 para vigiar a atividade crescente dos submarinos russos.

"Queremos melhorar nossas capacidades em condições de temperaturas abaixo de zero, aprendendo com antigos aliados, tais como a Noruega, ou monitorando as ameaças submarinas com nossos aviões Poseidon. Nos manteremos atentos a novos desafios", afirmou Williamson.

O minist…

Israel diz que S-300 não representam ameaça para F-35, os 'melhores caças furtivos'

Os sistemas de defesa antiaérea S-300, recentemente entregues pela Rússia à Síria, não poderão interferir com os novíssimos aviões israelenses, acredita o ministro da Cooperação Regional do país, Tzachi Hanegbi.


Sputnik

De acordo com o titular da pasta israelense, a instalação dos sistemas S-300 na Síria não será capaz de limitar as atividades dos caças de 5ª geração F-35I Adir, que estão em serviço na Força Aérea de Israel e foram produzidos nos EUA.

Caças israelenses F-35 realizam voo em Jerusalém durante comemorações do 69º Dia da Independência, em 2 de maio de 2017
F-35 Ligntning II israelenses © AFP 2018 / Thomas Coex

"Temos caças furtivos e são os melhores do mundo. Essas baterias [S-300] nem sequer podem detectá-los", disse o ministro, citado pelo jornal Haaretz.

As entregas dos sistemas russos S-300 deveriam ter terminado o programa de modernização do complexo de defesa antiaérea sírio já há alguns anos, mas na época as respectivas negociações foram suspensas por iniciativa do lado israelense.

Enquanto isso, o especialista em assuntos militares sírio e general aposentado, Al-Amid Ali Maksud, afirmou à Sputnik Árabe que a entrega destes sistemas ao país árabe mudará o balanço das forças na região e será um fator de contenção para Israel.

A decisão sobre o fornecimento dos S-300 a Damasco foi tomada na sequência da tragédia com o avião Il-20 na Síria, que foi derrubado pelos sistemas S-200 sírios por, segundo afirma o lado russo, caças israelenses o terem usado como cobertura. O incidente causou 15 mortes.

Comentários

Postagens mais visitadas