Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha do Brasil prevê inaugurar estação na Antártica em 2020, oito anos após incêndio

Obra é executada por uma empresa chinesa e, segundo a Marinha, se aproxima do final. Incêndio em 2012 destruiu estação, e dois militares morreram.
Por Guilherme Mazui | G1 — Brasília

Passados sete anos desde o incêndio que destruiu a Estação Antártica Comandante Ferraz, a Marinha prevê inaugurar a nova estação em março de 2020.

Executada pela empresa chinesa Ceiec, a obra se aproxima do final, segundo a Marinha, que prevê concluir as obras civis e a instalação de máquinas e mobiliário até 31 de março, iniciando um período de testes do complexo científico até março de 2020. Após os testes, a estação poderá receber militares e pesquisadores.

"A previsão de inauguração é março de 2020, quando os pesquisadores e o Grupo-Base [de militares] deverão ocupar em definitivo as instalações da nova Estação Antártica Comandante Ferraz", informou a Marinha ao G1.

Com investimento de US$ 99,6 milhões, o complexo receberá profissionais que atuam no Programa Antártico Brasileiro (Proantar), criad…

James Mattis diz que Assad terá que ser 'tirado do poder' eventualmente

O presidente da Síria, Bashar Assad, terá que ser "tirado do poder" porque perdeu credibilidade, disse o secretário de Defesa dos EUA, James Mattis, durante uma discussão no Instituto de Paz dos EUA, em Washington.


Sputnik

"Nós vemos a razão pela qual acredito que eventualmente Assad terá que ser retirado do poder", disse Mattis nesta terça-feira (30).


Mattis
James Mattis © AP Photo/ Carolyn Kaster

"Não creio que qualquer eleição realizada sob os auspícios do regime sírio tenha qualquer credibilidade com o povo sírio ou com a comunidade internacional", acrescentou.

Os Estados Unidos estão comprometidos em apoiar as forças locais na Síria e encontrar o acordo através do processo de Genebra, acrescentou Mattis.

Ele também criticou os esforços da Rússia para garantir a paz na Síria, afirmando que eles "não produziram nada que valha a pena".

A Rússia afirmou repetidamente que o destino do líder sírio em exercício deve ser decidido exclusivamente pelo povo sírio. Ao mesmo tempo, muitos oficiais ocidentais, especialmente os norte-americanos, insistiram em uma renúncia de Assad, chamando-a de pré-condição principal para o assentamento sírio.

Em meados de setembro, o ministro das Relações Exteriores da Alemanha, Heiko Maas, anunciou que o governo alemão não poderia imaginar uma solução política de longo prazo com Assad permanecendo no poder. No entanto, Maas não acredita que a saída de Assad seja um pré-requisito obrigatório para a participação da Alemanha na reconstrução do país.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas