Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Empresa chinesa faz peças para F-35? Revelação surge em meio a polêmicas envolvendo Huawei

Em meio à briga contínua entre os EUA e a gigante tecnológica chinesa Huawei, classificada como ameaça à segurança por Washington, verificou-se que uma subsidiária com sede no Reino Unido de uma companhia chinesa fabrica peças para os jatos americanos F-35.
Sputnik

Trata-se da companhia chinesa Exception PCB, com sede no condado britânico de Gloucestershire, que fabrica placas de circuitos que controlam os motores, iluminação, combustível e sistemas de navegação dos caças F-35 – o sistema de armas mais caro já feito.

De acordo com a emissora britânica Sky, citando materiais divulgados pelo Ministério da Defesa do Reino Unido, a empresa que fabrica componentes para os caças da Lockheed Martin foi comprada em 2013 pela companhia chinesa Shenzhen Fastprint, que inclusive já participou da fabricação de caças Eurofighter Typhoon e de helicópteros de ataque Apache.

"A Exception PCB, com sede em Gloucestershire, fabrica placas de circuito impresso que controlam muitas das principais capacid…

Jordânia considera cancelar Tratado de Paz com Israel

Em conformidade com o acordo de paz de 1994, a Jordânia concedeu a Israel direitos de propriedade privada em dois territórios fronteiriços. No entanto, o rei da Jordânia gostaria de recuperar as terras.


Sputnik

O rei da Jordânia, Abdullah II, anunciou neste domingo que o seu país decidiu suspender dois anexos do tratado de paz de 1994 com Israel, pondo fim ao arrendamento israelense dos territórios de Baqura, Naharayim e Al-Ghamr, e Zofar.


Rei da Jordânia Abdullah II
Rei da Jordânia, Abdullah II © Sputnik / Aleksei Nikolsky

"Baqura e Ghamr são território jordaniano e permanecerão jordanianos. Exercemos soberania plena sobre nossa terra", disse o rei, segundo a agência de notícias estatal Jordan News Agency (Petra).

"Nossas prioridades, em circunstâncias regionais tão difíceis, buscam proteger os nossos interesses, fazendo todo o necessário para a Jordânia e os jordanianos", observou Abdullah II, acrescentando que Israel estava ciente da decisão.

Em resposta à medida, o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, prometeu, conforme citado pelo Haaretz, tentar convencer a Jordânia a estender o contrato. "Não há dúvida de que o acordo é um ativo importante", disse ele, elogiando os tratados de paz com a Jordânia e o Egito na qualidade de "âncoras da estabilidade regional".

Ambas as áreas em questão estão localizadas na fronteira entre Israel e a Jordânia. Os agricultores israelenses obtiveram direitos de propriedade da terra por um período de 25 anos, sob o acordo de paz de 1994, que arbitrou disputas antigas por terra e água entre os dois países.

Após o acordo de 1994, a Jordânia tornou-se o segundo país árabe (depois do Egito) a estabelecer relações diplomáticas com Israel. No entanto, as relações entre Israel e a Jordânia têm sido tensas nos últimos anos. No início deste ano, o rei jordaniano Abdullah II confirmou que Jerusalém Oriental deveria ser a capital de um futuro Estado palestino, enquanto Israel vê Jerusalém como sua capital oficial.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas