Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Irã ameaça romper limite de reservas de urânio; entenda o que país pode fazer se sair de acordo nuclear

Sem regulação, país pode adotar equipamentos mais modernos e rápidos e ampliar volume de enriquecimento de material que pode ser usado em armas nucleares. Acordo foi firmado em 2015 entre Irã e mais seis países, mas Trump retirou EUA em maio de 2018.
Associated Press

O Irã anunciou que irá exceder o limite de reservas de urânio determinado pelo acordo nuclear de 2015, ampliando as tensões no Oriente Médio.

O prazo de 27 de junho dado por Teerã vem antes de outra data limite, 7 de julho, para que a Europa apresente melhores termos para que o país permaneça no acordo. Se essa segunda data passar sem nenhuma ação, o presidente iraniano Hassan Rouhani diz que a república islâmica irá provavelmente retomar o alto enriquecimento de urânio.

Veja a seguir em que situação está o programa nuclear do Irã atualmente:

O acordo nuclear

O Irã fechou um acordo nuclear em 2015 com Estados Unidos, França, Alemanha, Reino Unido, Rússia e China. O acordo, formalmente conhecido como Plano de Ação Conjunto Abran…

Kiev colocou em Donbass estação de inteligência fabricada nos EUA, diz Lugansk

O funcionamento de uma estação de radar de reconhecimento de artilharia fabricada nos EUA foi observado na parte controlada por Kiev, anunciou o representante oficial da Milícia Popular de Lugansk.


Sputnik

"Na área residencial do povoado de Zolotoe, na área de responsabilidade da 14ª brigada mecanizada das Forças Armadas da Ucrânia, foi registrado o funcionamento de uma estação de radar de reconhecimento de artilharia AN/TPQ-48 de fabricação norte-americana", disse o representante oficial da entidade responsável pela defesa da República Popular de Lugansk (RPL), Andrei Marochko.


Resultado de imagem para AN/TPQ-48
Estação de radar de reconhecimento de artilharia AN/TPQ-48 em Zolotoye, Ucrãnia


Segundo ele, a estação fornece dados para cálculos de tiro de morteiros das Forças Armadas da Ucrânia que, segundo a Milícia da RPL, estão bombardeando áreas residenciais da república.

"O comando das Forças Armadas da Ucrânia continua a escalada da situação na região, aumentando suas forças e meios próximos da linha de contato. Com suas ações, as autoridades de Kiev sublinham sua atitude agressiva na resolução do conflito em Donbass", acrescentou Marochko.

Ele esclareceu que uma coluna de veículos, constituída por dois veículos de combate de infantaria BMP-1 e sete caminhões Ural com munições e combustível, chegou na área do povoado de Schastye.

As autoridades da Ucrânia lançaram em abril de 2014 uma operação militar contra as repúblicas populares de Donetsk e Lugansk, que declararam a independência após o golpe na Ucrânia em fevereiro de 2014. De acordo com os últimos dados da ONU, mais de 10 mil pessoas foram vítimas do conflito.

A questão da resolução da situação em Donbass está sendo discutida, inclusive durante as reuniões em Minsk do grupo de contato que, desde setembro de 2014, já adotou três documentos com medidas regulatórias para a desescalada do conflito. No entanto, mesmo após os acordos de cessar-fogo, a troca de tiros entre as partes em conflito continua.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas