Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Reino Unido reforçará sua presença militar no Ártico para se opor à Rússia, diz mídia

O ministro da Defesa britânico, Gavin Williamson, disse que o Reino Unido pretende reforçar a presença militar no Ártico para “proteger” o flanco norte da OTAN das ações da Rússia, segundo o diário The Telegraph.
Sputnik

Segundo o jornal, mais de 1.000 fuzileiros navais da Marinha britânica farão treinamentos anuais com colegas noruegueses no âmbito de um programa previsto para dez anos, formando no futuro próximo um novo destacamento, assinalou Williamson durante uma visita à base militar em Bardufoss, na Noruega.


O ministro britânico mencionou também que o Reino Unido enviará no próximo ano para a região do Ártico um avião de patrulha marítima Poseidon P8 para vigiar a atividade crescente dos submarinos russos.

"Queremos melhorar nossas capacidades em condições de temperaturas abaixo de zero, aprendendo com antigos aliados, tais como a Noruega, ou monitorando as ameaças submarinas com nossos aviões Poseidon. Nos manteremos atentos a novos desafios", afirmou Williamson.

O minist…

Kiev colocou em Donbass estação de inteligência fabricada nos EUA, diz Lugansk

O funcionamento de uma estação de radar de reconhecimento de artilharia fabricada nos EUA foi observado na parte controlada por Kiev, anunciou o representante oficial da Milícia Popular de Lugansk.


Sputnik

"Na área residencial do povoado de Zolotoe, na área de responsabilidade da 14ª brigada mecanizada das Forças Armadas da Ucrânia, foi registrado o funcionamento de uma estação de radar de reconhecimento de artilharia AN/TPQ-48 de fabricação norte-americana", disse o representante oficial da entidade responsável pela defesa da República Popular de Lugansk (RPL), Andrei Marochko.


Resultado de imagem para AN/TPQ-48
Estação de radar de reconhecimento de artilharia AN/TPQ-48 em Zolotoye, Ucrãnia


Segundo ele, a estação fornece dados para cálculos de tiro de morteiros das Forças Armadas da Ucrânia que, segundo a Milícia da RPL, estão bombardeando áreas residenciais da república.

"O comando das Forças Armadas da Ucrânia continua a escalada da situação na região, aumentando suas forças e meios próximos da linha de contato. Com suas ações, as autoridades de Kiev sublinham sua atitude agressiva na resolução do conflito em Donbass", acrescentou Marochko.

Ele esclareceu que uma coluna de veículos, constituída por dois veículos de combate de infantaria BMP-1 e sete caminhões Ural com munições e combustível, chegou na área do povoado de Schastye.

As autoridades da Ucrânia lançaram em abril de 2014 uma operação militar contra as repúblicas populares de Donetsk e Lugansk, que declararam a independência após o golpe na Ucrânia em fevereiro de 2014. De acordo com os últimos dados da ONU, mais de 10 mil pessoas foram vítimas do conflito.

A questão da resolução da situação em Donbass está sendo discutida, inclusive durante as reuniões em Minsk do grupo de contato que, desde setembro de 2014, já adotou três documentos com medidas regulatórias para a desescalada do conflito. No entanto, mesmo após os acordos de cessar-fogo, a troca de tiros entre as partes em conflito continua.

Comentários

Postagens mais visitadas