Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Irã ameaça romper limite de reservas de urânio; entenda o que país pode fazer se sair de acordo nuclear

Sem regulação, país pode adotar equipamentos mais modernos e rápidos e ampliar volume de enriquecimento de material que pode ser usado em armas nucleares. Acordo foi firmado em 2015 entre Irã e mais seis países, mas Trump retirou EUA em maio de 2018.
Associated Press

O Irã anunciou que irá exceder o limite de reservas de urânio determinado pelo acordo nuclear de 2015, ampliando as tensões no Oriente Médio.

O prazo de 27 de junho dado por Teerã vem antes de outra data limite, 7 de julho, para que a Europa apresente melhores termos para que o país permaneça no acordo. Se essa segunda data passar sem nenhuma ação, o presidente iraniano Hassan Rouhani diz que a república islâmica irá provavelmente retomar o alto enriquecimento de urânio.

Veja a seguir em que situação está o programa nuclear do Irã atualmente:

O acordo nuclear

O Irã fechou um acordo nuclear em 2015 com Estados Unidos, França, Alemanha, Reino Unido, Rússia e China. O acordo, formalmente conhecido como Plano de Ação Conjunto Abran…

OTAN e Israel não poderão copiar tecnologias do sistema S-300, considera especialista

O atual sistema de proteção de dados do complexo, além do trabalho da contrainteligência da Rússia, não permitirá que Washington e Tel Aviv copiem ou obtenham a tecnologia do sistema de defesa antiaérea S-300, declarou o diretor do Centro de Análise do Comércio Mundial de Armas da Rússia, Igor Korotchenko.


Sputnik

Nos anos 90, um sistema S-300 foi transferido pela Bielorrússia para os EUA e hoje ele está também em serviço em dois países membros da OTAN — Grécia e Chipre.

Sistema S-300 de defesa aérea
S-300 Favorit © AP Photo / Ivan Sekretarev

Durante uma mesa-redonda da Sputnik sobre a entrega dos S-300 à Síria e as mudanças associadas ao realinhamento de forças no Oriente Médio, o analista afirmou que são boatos "todas as especulações que estão sendo produzidas em Israel e nos EUA sobre essa tecnologia".

"O sistema de proteção de dados, a contrainteligência e as medidas de segurança em todos os estágios do projeto, produção e fornecimento desses sistemas, garantem que a Rússia, tal como era proprietária do know-how do S-300, assim continua sendo", afirmou.

No final de setembro, o ministro da Defesa da Rússia, Sergei Shoigu, anunciou medidas para melhorar a segurança das Forças Armadas russas na Síria em resposta à queda de um Il-20, pela qual a Rússia responsabilizou Israel.

Em 2013, Moscou havia suspendido a entrega dos S-300 a Damasco a pedido de Israel, mas a situação mudou. A Rússia entregou recentemente os sistemas de defesa antiaérea ao país árabe.

Segundo Shoigu, quatro lançadores e outros equipamentos já foram entregues, além da oferta de treinamento aos militares sírios por três meses.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas