Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

EUA podem dobrar contingente militar na América do Sul, diz chefe da inteligência russa

Os EUA podem aumentar seu contingente militar na América Central e do Sul de 20 mil para 40 mil homens, disse o vice-almirante Igor Kostyukov, chefe do Departamento Central de Inteligência (GRU, sigla em russo), do Estado-Maior das Forças Armadas da Rússia.
Sputnik

"Embora na América Latina não haja ameaça militar direta para a segurança dos EUA, Washington tem uma presença militar significativa [na região]. O Comando Conjunto das Forças Armadas dos EUA implantou na América Central e do Sul um contingente de 20 mil militares. No período de ameaças este pode aumentar para 40 mil militares", explicou Kostyukov.


De acordo com ele, os EUA podem provocar uma "revolução colorida" na Nicarágua e Cuba.

"As tecnologias de 'revolução colorida' testadas na Venezuela podem vir a ser usadas em breve na Nicarágua e em Cuba", disse ele.

Segundo Kostyukov, os EUA estão tentando estabelecer o controle total sobre a América Latina.

"A Administração dos EUA considera…

Papa diz que semear ódio é o caminho para Terceira Guerra Mundial

O papa Francisco afirmou nesta terça-feira que "semear ódio, violência e divisões é um caminho de destruição" e de preparo para a Terceira Guerra Mundial.


EFE

Roma - "Hoje existe a Terceira Guerra Mundial em pedaços. Olhem para os locais dos conflitos: falta de humanidade, agressão, ódio entre culturas e tribos, também uma deformação da religião, este é o caminho do suicídio, semear ódio. É um preparar a Terceira Guerra Mundial que está em andamento aos pedaços e acredito não exagerar nisto. Diga isto aos jovens!", disse o papa.


EFE/Vaticano
EFE/Vaticano

O pontífice participou do encontro realizado em Roma para a apresentação do livro "Francisco - A sabedoria do tempo", um projeto editorial do padre Antonio Spadaro, diretor da revista dos jesuítas "La Civiltà Cattolica".

O livro reúne lições de vida de mulheres e homens de diversas partes do mundo, entre eles do diretor de cinema Martin Scorsese, que esteve no evento de hoje. Scorsese, cujo filme mais recente, "Silêncio", fala sobre um missionário jesuíta no Japão, contou a história de um bairro de Nova York onde existe muita pobreza e perguntou como a humanidade pode reagir à crueldade.

Francisco disse que para evitar que o mundo experimente a crueldade é importante ensinar que os jovens devem ter empatia e mostrar a eles que a maldade "é o caminho errado".

Durante a apresentação, o pontífice se referiu em várias ocasiões ao ódio e à violência e alertou para o crescimento do populismo.

"É importante que os jovens saibam como nasce o populismo. Penso em Hitler no século passado, que havia prometido o desenvolvimento da Alemanha. Sabemos como começam os populismos: semeando o ódio. Não se pode viver semeando ódio", disse ele.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas