Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Putin ameaça retaliar se EUA instalarem mísseis na Europa

Em seu discurso sobre o estado da nação, presidente russo faz ataques a Washington e promete apontar seu arsenal para os Estados Unidos e para o continente europeu se mísseis americanos atravessarem o Atlântico.
Deutsch Welle

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, alertou nesta quarta-feira (20/02) que seu país responderá a um possível envio de mísseis americanos à Europa, fazendo com que não apenas os países que receberem esses armamentos se tornem alvos, mas também os Estados Unidos.


Em seu discurso anual sobre o estado da nação em Moscou, Putin elevou o tom ao comentar uma nova e potencial corrida armamentista. Ele afirmou que a reação russa a um possível envio seria rigorosa e que as autoridades em Washington – algumas das quais estariam obcecadas com o "excepcionalismo" americano – deveriam calcular os riscos antes de tomar qualquer medida.

"É o direito deles de pensar da forma que quiserem. Mas eles sabem fazer cálculos? Tenho certeza que sabem. Deixemos que eles cal…

Rússia e Turquia fecham acordo sobre limites de zona desmilitarizada em Idlib

Rússia e Turquia chegaram a um acordo sobre os limites da zona desmilitarizada na província de Idlib, no noroeste da Síria, conforme anunciou nesta segunda-feira o vice-ministro de Relações Exteriores russo, Sergey Vershinin.


EFE

Moscou - "As fronteiras da zona desmilitarizada já foram estabelecidas", disse Vershinin em entrevista à agência oficial russa "RIA Novosti".

Putin e Erdogan em foto de julho de 2018. EFE/Vladimir Astapkovich
Putin e Erdogan em foto de julho de 2018. EFE/Vladimir Astapkovich

De acordo com o vice-ministro, os militares russos e turcos têm "comunicação, bons contatos e interação".

Em 17 de setembro, os presidentes da Rússia, Vladimir Putin, e da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, decidiram implantar uma zona desmilitarizada de até 20 quilômetros e que dividirá as posições das tropas do governo e da oposição armada, que tem apoio de Ancara.

O acordo, selado em um memorando assinado pelos ministros da Defesa de ambos os países, diz que a zona desmilitarizada deve ser criada até segunda-feira que vem. A proposta de Erdogan, de retirar o armamento pesado e os soldados armados de tal área deve concluir na quarta-feira.

"Entendemos que se trata de um trabalho grande, como a retirada do armamento pesado e a saída dos grupos radicais. Acho que é possível fazê-lo e isto deve ser feito", disse Vershinin.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas