Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Empresa chinesa faz peças para F-35? Revelação surge em meio a polêmicas envolvendo Huawei

Em meio à briga contínua entre os EUA e a gigante tecnológica chinesa Huawei, classificada como ameaça à segurança por Washington, verificou-se que uma subsidiária com sede no Reino Unido de uma companhia chinesa fabrica peças para os jatos americanos F-35.
Sputnik

Trata-se da companhia chinesa Exception PCB, com sede no condado britânico de Gloucestershire, que fabrica placas de circuitos que controlam os motores, iluminação, combustível e sistemas de navegação dos caças F-35 – o sistema de armas mais caro já feito.

De acordo com a emissora britânica Sky, citando materiais divulgados pelo Ministério da Defesa do Reino Unido, a empresa que fabrica componentes para os caças da Lockheed Martin foi comprada em 2013 pela companhia chinesa Shenzhen Fastprint, que inclusive já participou da fabricação de caças Eurofighter Typhoon e de helicópteros de ataque Apache.

"A Exception PCB, com sede em Gloucestershire, fabrica placas de circuito impresso que controlam muitas das principais capacid…

Rússia seguirá sua doutrina nuclear, mas destruirá qualquer agressor, diz Kremlin

Porta-voz do presidente russo, Dmitry Peskov, explicou a declaração de Vladimir Putin sobre ataque nuclear pronunciada no clube de discussão Valdai em Sochi na semana passada.


Sputnik

Na ocasião o líder russo declarou que a Rússia poderá usar suas armas nucleares só em caso de um ataque de resposta. Ele disse: "O agressor deve saber que a retribuição é inevitável, que será destruído. E nós, vítimas da agressão, iremos ao paraíso como mártires, enquanto eles simplesmente vão morrer, pois nem terão tempo para se arrependerem."


Lançamento do míssil balístico do complexo Iskander-M a partir do polígono de Kapustin Yar, na região russa de Arkhangelsk
Lançamento de míssil balístico russo Iskander-M © Sputnik / Stringer

Segundo o porta-voz de Vladimir Putin, "o discurso não era sobre o paraíso ou sobre quem iria para lá, mas sim sobre, e isso é o importante, que a nível de doutrina a Rússia não se reserva o direito de um ataque preventivo, ou seja, nós não efetuaremos o primeiro ataque. Nós não nos atribuímos o direito de atacar primeiro".

Peskov detalhou em que caso de Moscou se poder decidir pelo ataque nuclear: "Na nossa doutrina está escrito que se, no primeiro caso, o país for atacado com armas nucleares ou, no segundo caso, nosso país for atacado de modo que a existência do nosso Estado seja ameaçada, a Rússia se sentirá no direito de utilizar armas nucleares."

Ele acrescentou que Vladimir Putin disse que a Rússia não vai atacar ninguém primeira.

Vladimir Putin havia comentado, durante o debate realizado pelo Clube Valdai, os conceitos da doutrina nuclear da Rússia. Segundo o presidente russo, a utilização de armamentos nucleares significaria uma catástrofe mundial e Moscou não iria iniciar esse processo, por não considerar a possibilidade de um ataque preventivo.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas