Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Irã ameaça romper limite de reservas de urânio; entenda o que país pode fazer se sair de acordo nuclear

Sem regulação, país pode adotar equipamentos mais modernos e rápidos e ampliar volume de enriquecimento de material que pode ser usado em armas nucleares. Acordo foi firmado em 2015 entre Irã e mais seis países, mas Trump retirou EUA em maio de 2018.
Associated Press

O Irã anunciou que irá exceder o limite de reservas de urânio determinado pelo acordo nuclear de 2015, ampliando as tensões no Oriente Médio.

O prazo de 27 de junho dado por Teerã vem antes de outra data limite, 7 de julho, para que a Europa apresente melhores termos para que o país permaneça no acordo. Se essa segunda data passar sem nenhuma ação, o presidente iraniano Hassan Rouhani diz que a república islâmica irá provavelmente retomar o alto enriquecimento de urânio.

Veja a seguir em que situação está o programa nuclear do Irã atualmente:

O acordo nuclear

O Irã fechou um acordo nuclear em 2015 com Estados Unidos, França, Alemanha, Reino Unido, Rússia e China. O acordo, formalmente conhecido como Plano de Ação Conjunto Abran…

Senador: Rússia nunca permitirá domínio da OTAN no Ártico

A grande atenção que a Rússia presta aos exercícios dos países da OTAN no Ártico é natural, já que Moscou não tem intenção de permitir o domínio da Aliança na região, declarou o senador russo Frants Klintsevich.


Sputnik

Anteriormente, o comandante dos fuzileiros navais da Marinha holandesa, Jeff Mac Mootry havia declarado que os navios de guerra e aviões russos tentam provocar as forças britânicas e holandesas no decurso das manobras da OTAN no Ártico.

Nova base russa Trifólio Ártico
Base russa Trifólio Ártico © Foto : Ministério da Defesa da Rússia

De acordo com o general, o número de navios de guerra russos tem aumentado significativamente em comparação com as décadas passadas. Para além disso, afirmou, os aviões russos começaram a voar demasiado perto dos navios da OTAN. Ele chamou tais ações de "provocações".

"Sendo uma potência ártica, a Rússia tem os seus interesses estratégicos na região, que ela vai defender com toda a firmeza, rigorosamente de acordo com o direito internacional. Por isso, é bem clara e natural a nossa atenção em relação aos exercícios da Aliança no Ártico. Que ninguém duvide: a Rússia nunca permitirá o domínio da OTAN na região", disse Klintsevich citado pelo seu serviço de imprensa.

Segundo o senador russo, a afirmação do general holandês não está ligada de modo nenhum à garantia de segurança no Ártico. "É mais uma tentativa de demonizar a Rússia. Posso apenas lamentar que até os militares regulares ocidentais tenham começado a dedicar-se à politiquice", acrescentou Frants Klintsevich.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas