Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

EUA: sanções contra Venezuela servem como 'alerta para atores externos, incluindo Rússia'

Na última terça-feira (17), o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, culpou a Rússia e a Venezuela pela crise de refugiados observada no país latino-americano.
Sputnik

O conselheiro de Segurança Nacional dos EUA, John Bolton, anunciou nesta quarta-feira (17) que os EUA estão impondo uma nova rodada de sanções contra a Venezuela, acrescentando o banco central do país à lista de restrições. 

Segundo o conselheiro de Segurança Nacional, as sanções recém-aplicadas deveriam se tornar um alerta para "todos os atores externos, inclusive a Rússia".

Desde o início da crise política na Venezuela no início deste ano, os EUA impuseram várias rodadas de sanções, visando os setores petrolífero e bancário do país, bem como indivíduos ligados às autoridades do país.

A Venezuela está sofrendo grave crise política desde janeiro. Junto com outros países ocidentais, os EUA apoiam Juan Guaidó, que se proclamou presidente interino da Venezuela. Ao mesmo tempo, Rússia, China e Turquia, entre outros…

Síria: ONU deve investigar ataque da coalizão que matou 62 civis

O ministério das Relações Exteriores da Síria acusou os países da coalizão internacional liderada por os EUA de violar o direito internacional ao bombardear áreas na província de Deir ez-Zor, matando pelo menos 62 civis.


Sputnik

"O crime cometido pela coligação prova mais uma vez que os seus países ignoram o direito internacional e carecem de valores morais", diz a carta do ministério das Relações Exteriores da Síria, enviada ao Secretário-Geral da ONU, informou SANA.


Situação em Deir ez-Zor
Bombardeio a Deir ez-Zor, Síria © Sputnik / Mikhail Alaeddin

A chancelaria síria pediu por uma investigação independente e imparcial do ataque aéreo, bem como a adoção de medidas para que situações semelhantes não se repitam.

"Este crime horrível provou para todos que o objetivo dos EUA nesta operação ilegítima não é lutar contra o terrorismo, mas assassinar o maior número possível de sírios e ignorar por completo os valores humanitários", acrescenta a carta.

A agência de notícias SANA informou neste sábado que os ataques da coalizão contra as aldeias de Al-Sousse e Al-Bubadran mataram 62 civis.

Segundo a agência, os ataques foram realizados nas últimas 24 horas.

A agência destacou que os números da tragédia ainda podem aumentar, pois muitas casas foram destruídas e muitos feridos ainda estão sob os escombros.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas