Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

General brasileiro em forças dos EUA atrapalha laços com Moscou e Pequim, diz especialista

A decisão do Brasil de enviar um oficial para integrar as Forças Armadas dos Estados Unidos deve atrapalhar as relações do país com importantes aliados, como China e Rússia. A avaliação é do especialista em Relações Internacionais Paulo Velasco, que conversou nesta segunda-feira com a Sputnik sobre esse polêmico assunto.
Sputnik

Na última semana, se tornou pública no Brasil a notícia de que o país indicará, até o final do ano, um general para assumir um posto no Comando Sul (SouthCom) dos EUA, que cobre América Central, Caribe e América do Sul, provocando controvérsias.


De acordo com o comandante responsável, o almirante Craig Faller, os interesses norte-americanos na região seriam ameaçados por Rússia, China, Irã, Venezuela, Cuba e Nicarágua, países com os quais o Brasil poderá ter relações prejudicadas por conta dessa situação, conforme acredita Velasco, professor adjunto de Política Internacional do Departamento de Relações Internacionais da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (U…

Síria: ONU deve investigar ataque da coalizão que matou 62 civis

O ministério das Relações Exteriores da Síria acusou os países da coalizão internacional liderada por os EUA de violar o direito internacional ao bombardear áreas na província de Deir ez-Zor, matando pelo menos 62 civis.


Sputnik

"O crime cometido pela coligação prova mais uma vez que os seus países ignoram o direito internacional e carecem de valores morais", diz a carta do ministério das Relações Exteriores da Síria, enviada ao Secretário-Geral da ONU, informou SANA.


Situação em Deir ez-Zor
Bombardeio a Deir ez-Zor, Síria © Sputnik / Mikhail Alaeddin

A chancelaria síria pediu por uma investigação independente e imparcial do ataque aéreo, bem como a adoção de medidas para que situações semelhantes não se repitam.

"Este crime horrível provou para todos que o objetivo dos EUA nesta operação ilegítima não é lutar contra o terrorismo, mas assassinar o maior número possível de sírios e ignorar por completo os valores humanitários", acrescenta a carta.

A agência de notícias SANA informou neste sábado que os ataques da coalizão contra as aldeias de Al-Sousse e Al-Bubadran mataram 62 civis.

Segundo a agência, os ataques foram realizados nas últimas 24 horas.

A agência destacou que os números da tragédia ainda podem aumentar, pois muitas casas foram destruídas e muitos feridos ainda estão sob os escombros.

Comentários

Postagens mais visitadas