Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

EUA e Rússia revivem a Guerra Fria no Oriente Médio com duas cúpulas

Reuniões paralelas, na Polônia e na Rússia, representaram a revitalização do rompimento entre as potências sobre o Irã, a guerra na Síria e o conflito entre Israel e a Palestina
Juan Carlos Sanz e María R. Sahuquillo | El País
Sochi / Jerusalém - Em 1991, a Conferência de Madri estabeleceu um modelo para o diálogo multilateral no Oriente Médio após o fim da Guerra Fria, que havia colocado Washington contra Moscou na disputa pela hegemonia em uma região estratégica. Transcorridos mais de 27 anos, dois conclaves paralelos representaram nesta quinta-feira em Varsóvia (Polônia) e Sochi (Rússia) a revitalização do rompimento entre as potências sobre o Irã, a guerra na Síria e o conflito israelo-palestino. Os Estados Unidos e a Rússia, copresidentes em Madri em 1991, já não atuam mais como mediadores para aliviar as tensões e, mais uma vez, assumem um lado entre as partes conflitantes.

No fórum da capital polonesa, a diplomacia dos EUA chegou a um impasse ao reunir mais de 60 países em uma reu…

Sistema S-700: potencial trunfo da Rússia na corrida armamentista espacial?

O deputado russo Vladimir Zhirinovsky declarou que a Rússia teria sistemas de defesa antiaérea S-600 e S-700. Analista militar faz previsão sobre quando tal sistema pode aparecer e como seria usado.


Sputnik

O deputado afirmou recentemente que as Forças Armadas russas teriam no seu serviço não apenas sistemas S-300 e S-400, mas até S-500, S-600 e S-700. O último, segundo Zhirinovsky, poderia "fechar o planeta inteiro e nenhum avião seria capaz de levantar voo".

Sistema de mísseis anitaéreo S-400 (foto de arquivo)
S-400 Triumph © Sputnik / Dmitry Vinogradov

Comentando as palavras do político, o analista militar Igor Korotchenko opinou que o S-700, se for assim apelidado, poderá ser desenvolvido em 25-30 anos e representar um sistema antimísseis de laser contra plataformas de combate posicionadas no espaço próximo.

"Em uns 25-30 anos, depois de os EUA iniciarem uma corrida armamentista espacial, a Rússia terá que reagir e poderá instalar no espaço próximo sistemas interceptores de mísseis em plataformas de combate orbitais, a arma funcionaria com base em 'novos princípios físicos', antes de tudo, com laser", sugeriu Korotchenko.

Antes do S-700, serão desenvolvidos passo a passo sistemas de defesa antiaérea e antimísseis com base no S-500.

"No momento temos o sistema S-500, cujo desenvolvimento está na fase final e que em pouco tempo passará por testes e confirmará suas características. Depois disso será tomada a decisão sobre produção em série", lembrou especialista.

Para Korotchenko, a modernização do S-500 poderá resultar em 15-20 anos na criação de um sistema terrestre S-600, enquanto o S-700 se enquadrará na segunda área da defesa aérea — no espaço.

As armas baseadas em novos princípios físicos são armas criadas com base em processos e fenômenos físicos já conhecidos, mas que nunca antes foram usados em armas convencionais (brancas ou de fogo) nem em armas de destruição em massa (nucleares, químicas, biológicas).

Existem vários tipos destas armas, incluindo as de laser, de frequências de rádio, armas de feixes de partículas, cinéticas, entre outras.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas