Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Defesa do Brasil tem maior gasto com pessoal na década, e investimento militar cai

Despesas com ativos e inativos crescem R$ 7,1 bi em 2019, reflexo de aumento salarial
Por Igor Gielow e Gustavo Patu | Folha de S.Paulo

A previsão de gasto militar para o primeiro ano de governo do capitão reformado do Exército Jair Bolsonaro (PSL) traz o maior aumento de despesa com pessoal em dez anos e uma redução expressiva do investimento em programas de reequipamento das Forças Armadas.
Não fosse uma criatividade contábil dos militares, que conseguiram recursos com a capitalização de uma estatal para comprar novos navios, a despesa de investimento seria a menor desde 2009.

A Folha analisou a série histórica com a ferramenta de acompanhamento orçamentário Siga Brasil, do Senado. Para este ano, o Ministério da Defesa, ainda na gestão Michel Temer (MDB), planejou gastar R$ 104,2 bilhões, o quarto maior volume da Esplanada.

Desse montante, R$ 81,1 bilhões irão para pessoal, R$ 13,3 bilhões, para gastos correntes (custeio) e R$ 9,8 bilhões, para investimentos. Os valores não incluem o con…

Stoltenberg revela reação da OTAN às ações russas no Ártico

OTAN reage ao reforço da presença militar da Rússia no Ártico, mas não tem intenção de responder do mesmo modo, declarou na terça-feira (30) o secretário-geral da OTAN, Jens Stoltenberg.


Sputnik

"Nós vemos o aumento da presença militar da Rússia no Ártico. Mas a OTAN não planeja repetir exatamente, navio por navio, avião por avião, submarino por submarino, o que faz a Rússia. Porém, com certeza, uma das razões porque nós estamos reforçando a nossa defesa coletiva e a presença no Norte é aquilo que nós vimos da parte da Rússia", disse Stoltenberg aos jornalistas na coletiva de imprensa na Noruega.


Jens Stoltenberg, secretário-geral da OTAN
Jens Stoltenberg © AFP 2018 / JOHN THYS

Segundo o secretário-geral da OTAN, se trata principalmente da defesa das vias de comunicação submarinas no Atlântico Norte, que ligam a Europa e a América. A OTAN realiza também exercícios antissubmarinos, alguns aliados investem na aviação antissubmarino.

"Nós respondemos, mas não repetimos exatamente o que faz a Rússia. Estamos trabalhando para a diminuição da tensão nessa região", afirmou Stoltenberg.

Anteriormente, o Ministério da Defesa da Rússia declarou por várias vezes que realizou e continua realizando todas as passagens de navios e voos de aviação em conformidade rigorosa com as regras internacionais, não violando as fronteiras de outros países.

Moscou declarou também, em meio à atividade crescente dos países da OTAN perto das suas fronteiras, que não representa ameaça para ninguém, mas não deixará sem atenção as ações potencialmente perigosas para seus interesses.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas