Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Gorbachov chama EUA para retomar diálogo com a Rússia sobre armas nucleares

O último presidente da União Soviética, Mikhail Gorbachov, pediu que os Estados Unidos retomem um "diálogo sério" com a Rússia sobre o problema das armas nucleares e alertou contra as "perigosas tendências destrutivas" na política mundial, em artigo publicado nesta quarta-feira no jornal "Vedomosti".
EFE

Moscou - Após constatar uma ruptura da comunicação entre Moscou e Washington, o ex-líder soviético se dirigiu em particular aos congressistas americanos para pedir que deixem de lado suas diferenças partidárias para facilitar um "diálogo sério" entre ambos os países.


"Estou convencido de que a Rússia está preparada (para o diálogo)", ressaltou Gorbachov, que manifestou preocupação com a suspensão, primeiro pelos EUA e depois pela Rússia, do Tratado de Eliminação dos Mísseis de Médio e Curto Alcance (INF), que ele assinou em 1987 com o então presidente americano, Ronald Reagan.

Gorbachov apontou que por trás da decisão de Washington de deix…

Stoltenberg revela reação da OTAN às ações russas no Ártico

OTAN reage ao reforço da presença militar da Rússia no Ártico, mas não tem intenção de responder do mesmo modo, declarou na terça-feira (30) o secretário-geral da OTAN, Jens Stoltenberg.


Sputnik

"Nós vemos o aumento da presença militar da Rússia no Ártico. Mas a OTAN não planeja repetir exatamente, navio por navio, avião por avião, submarino por submarino, o que faz a Rússia. Porém, com certeza, uma das razões porque nós estamos reforçando a nossa defesa coletiva e a presença no Norte é aquilo que nós vimos da parte da Rússia", disse Stoltenberg aos jornalistas na coletiva de imprensa na Noruega.


Jens Stoltenberg, secretário-geral da OTAN
Jens Stoltenberg © AFP 2018 / JOHN THYS

Segundo o secretário-geral da OTAN, se trata principalmente da defesa das vias de comunicação submarinas no Atlântico Norte, que ligam a Europa e a América. A OTAN realiza também exercícios antissubmarinos, alguns aliados investem na aviação antissubmarino.

"Nós respondemos, mas não repetimos exatamente o que faz a Rússia. Estamos trabalhando para a diminuição da tensão nessa região", afirmou Stoltenberg.

Anteriormente, o Ministério da Defesa da Rússia declarou por várias vezes que realizou e continua realizando todas as passagens de navios e voos de aviação em conformidade rigorosa com as regras internacionais, não violando as fronteiras de outros países.

Moscou declarou também, em meio à atividade crescente dos países da OTAN perto das suas fronteiras, que não representa ameaça para ninguém, mas não deixará sem atenção as ações potencialmente perigosas para seus interesses.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas