Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Empresa chinesa faz peças para F-35? Revelação surge em meio a polêmicas envolvendo Huawei

Em meio à briga contínua entre os EUA e a gigante tecnológica chinesa Huawei, classificada como ameaça à segurança por Washington, verificou-se que uma subsidiária com sede no Reino Unido de uma companhia chinesa fabrica peças para os jatos americanos F-35.
Sputnik

Trata-se da companhia chinesa Exception PCB, com sede no condado britânico de Gloucestershire, que fabrica placas de circuitos que controlam os motores, iluminação, combustível e sistemas de navegação dos caças F-35 – o sistema de armas mais caro já feito.

De acordo com a emissora britânica Sky, citando materiais divulgados pelo Ministério da Defesa do Reino Unido, a empresa que fabrica componentes para os caças da Lockheed Martin foi comprada em 2013 pela companhia chinesa Shenzhen Fastprint, que inclusive já participou da fabricação de caças Eurofighter Typhoon e de helicópteros de ataque Apache.

"A Exception PCB, com sede em Gloucestershire, fabrica placas de circuito impresso que controlam muitas das principais capacid…

Venezuela reorganiza Comando Conjunto de Defesa Aeroespacial

A Venezuela completou a reforma da estrutura organizacional das tropas de defesa aérea, criando cinco brigadas após a conclusão de um longo período de compra de armas modernas na Rússia para equipá-las.


Forças Terrestres

O fornecimento de equipamentos e armas permitiu que o Comando Conjunto de Defesa Aeroespacial Integral (CODAI) iniciasse em junho de 2014 a reorganização da estrutura organizacional em cinco brigadas de defesa aérea: 19 (localização de Maracaibo), 29 (El Sombrero), 39 (Caracas), 49 (Barcelona), 59 (Bolívar) e uma brigada de apoio material.

Caças F-16 sobrevoam sistemas de defesa aérea venezuelanos
Caças F-16 sobrevoam sistemas de defesa aérea venezuelanos

Cada brigada inclui dispositivos de detecção e controle de radar, bem como armas de fogo, incluindo artilharia antiaérea e sistemas de mísseis antiaéreos.

No período de 2008 a junho de 2014, as forças armadas venezuelanas receberam até 300 unidades de artilharia antiaérea rebocadas de 23 mm ZU-23/30M1-4, várias centenas de mísseis antiaéreos Igla-S, pelo menos 11 baterias Pechora-2M S-125, 12 SAMs Buk-M2E e três baterias S-300VM Antey-2500.

COLABOROU: Rustam Bogaudinov

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas