Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha do Brasil prevê inaugurar estação na Antártica em 2020, oito anos após incêndio

Obra é executada por uma empresa chinesa e, segundo a Marinha, se aproxima do final. Incêndio em 2012 destruiu estação, e dois militares morreram.
Por Guilherme Mazui | G1 — Brasília

Passados sete anos desde o incêndio que destruiu a Estação Antártica Comandante Ferraz, a Marinha prevê inaugurar a nova estação em março de 2020.

Executada pela empresa chinesa Ceiec, a obra se aproxima do final, segundo a Marinha, que prevê concluir as obras civis e a instalação de máquinas e mobiliário até 31 de março, iniciando um período de testes do complexo científico até março de 2020. Após os testes, a estação poderá receber militares e pesquisadores.

"A previsão de inauguração é março de 2020, quando os pesquisadores e o Grupo-Base [de militares] deverão ocupar em definitivo as instalações da nova Estação Antártica Comandante Ferraz", informou a Marinha ao G1.

Com investimento de US$ 99,6 milhões, o complexo receberá profissionais que atuam no Programa Antártico Brasileiro (Proantar), criad…

35 caças americanos F-35 realizam exercício de decolagem simultânea (VÍDEO)

Os exercícios tiveram lugar na Base Aérea de Hill em Utah, envolvendo ao menos 35 aeronaves F-35 Lightning II.


Sputnik

A 388ª e a 419ª Alas de Combate (Fighter Wing) da Força Aérea americana realizaram um exercício de força de combate conhecido como "Elephant Walk", quando um grande grupo caças é alinhado em uma pista e os aviões decolam em um intervalo mínimo.


Pilotos da 388ª e 419ª Ala de Caça se preparam para a decolagem durante exercício de força de combate na Base Aérea de Hill para provar suas habilidades de prontidão e letalidade.

Ao menos 35 aeronaves foram vistas em formação taxiando na pista de decolagem. Segundo o major Caleb Guthmann, comandante-adjunto de operações do 34º Esquadrão de Caças, a Força Aérea estaria realizando o treinamento para estarem prontos a empregar qualquer número de aeronaves se for necessário apoiar uma missão de defesa nacional a qualquer momento.

Além disso, o exercício teria como objetivo demonstrar a prontidão e a letalidade dos caças contra alvos aéreos e terrestres e "demonstrar a capacidade de derrotar os potenciais adversários em qualquer parte do mundo", segundo o portal The Drive.

Durante o exercício, foram feitas entre 30 e 60 decolagens em intervalos de 20 a 40 segundos. O lançamento das aeronaves de forma quase simultânea faz com que sejam avaliadas as capacidades de todos os profissionais envolvidos (técnicos de manutenção, pilotos e equipes de comando e controle).

Segundo a Força Aérea dos EUA, as aeronaves teriam atendido ou ultrapassado os critérios exigidos de "prontidão para combate", após a FA ter declarado possuírem a capacidade operacional inicial em 2016.

Entretanto, ao longo dos mais de 25 anos do programa de desenvolvimento, o novo avião F-35 tem sido protagonista de muitas notícias, muitas delas referentes a falhas técnicas ou ao custo exorbitante do projeto.

O F-35 Lightning II é um caça furtivo de quinta geração, desenvolvido pela Lockheed Martin. Seu programa de desenvolvimento é considerado como o mais caro do mundo, atingindo US$ 1,5 trilhão (aproximadamente R$ 6 trilhões) até 2030.


Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas