Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Os mísseis russos que se tornaram alvo de disputa entre EUA e Turquia

A Turquia, dona do segundo maior Exército entre os 29 países que compõem a Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte), está prestes a adquirir mísseis antiaéreos S-400.
BBC News Brasil

Os S-400 são os mísseis "terra-ar" mais avançados do mundo e se tornaram motivo de uma disputa entre Turquia e Estados Unidos que pode ameaçar a aliança militar das potências ocidentais.

Isso porque os S-400 são fabricados na Rússia, o principal rival da organização fundada em 1949 justamente para se opor à então União Soviética.

A insistência da Turquia em adquirir os mísseis russos irritou os Estados Unidos, que encaram a decisão como uma potencial ameaça para seus aviões de combate F-35, também em vias de serem comprados pelos turcos.
Troca de farpas

"Não ficaremos de braços cruzados enquanto os aliados da Otan compram armas dos nossos adversários", advertiu o vice-presidente dos EUA, Mike Pence, durante um encontro organizado há poucos dias em Washington para celebrar o aniversár…

Canadá aceitará ofertas de novos caças em maio de 2019

O site Defense News noticiou que o Canadá espera aceitar ofertas formais para um novo caça a jato em maio, com a primeira aeronave entregue em 2025, de acordo com autoridades do Canadá.


Poder Aéreo

Um esboço do pacote de propostas para 88 caças foi emitido para as empresas para feedback até o final deste ano, disse Pat Finn, vice-ministro adjunto de material do Departamento de Defesa Nacional. A partir daí, as instruções finais de licitação para a aquisição de CA$ 16 bilhões (US$ 12 bilhões) serão emitidas e as licitações serão solicitadas até maio de 2019, acrescentou.

Caças CF-18 Hornet do Canadá
Caças CF-18 Hornet do Canadá

A aeronave substituirá a frota atual de jatos de caça CF-18 do Canadá. As aeronaves que se espera que sejam consideradas incluem o F-35 da Lockheed Martin, o Eurofighter Typhoon, o Dassault Rafale, o Gripen da Saab e o Boeing Super Hornet.

O governo canadense exigirá um pacote robusto de benefícios industriais garantidos ou compensações do vencedor, disseram autoridades do governo. Mas isso pode ser um problema para o F-35, já que o Canadá ainda é um parceiro nesse programa, o que não garante contratos entre nações participantes. O trabalho no programa F-35 é baseado no melhor valor e preço.

A participação industrial canadense no programa F-35 alcançou US$ 1 bilhão, com mais de 110 empresas canadenses tendo firmado contratos relacionados ao programa de aeronaves.

Jeff Waring, diretor-geral da política de benefícios industriais do Departamento de Inovação, Ciência e Desenvolvimento Econômico do Canadá, disse que o país vê o programa de jatos de caça como uma “oportunidade única de geração para a economia canadense”.

Mas ele observou que a política de benefícios industriais é flexível. “É uma abordagem orientada para o mercado”, disse ele. “Isso incentiva os fornecedores a fazer investimentos que façam sentido para eles”.

A questão dos benefícios industriais já foi discutida com empresas interessadas em fazer lances no projeto, e essas conversações continuarão à medida que o feedback for recebido sobre o pacote preliminar de propostas, disseram autoridades do governo.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas