Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

EUA e Rússia revivem a Guerra Fria no Oriente Médio com duas cúpulas

Reuniões paralelas, na Polônia e na Rússia, representaram a revitalização do rompimento entre as potências sobre o Irã, a guerra na Síria e o conflito entre Israel e a Palestina
Juan Carlos Sanz e María R. Sahuquillo | El País
Sochi / Jerusalém - Em 1991, a Conferência de Madri estabeleceu um modelo para o diálogo multilateral no Oriente Médio após o fim da Guerra Fria, que havia colocado Washington contra Moscou na disputa pela hegemonia em uma região estratégica. Transcorridos mais de 27 anos, dois conclaves paralelos representaram nesta quinta-feira em Varsóvia (Polônia) e Sochi (Rússia) a revitalização do rompimento entre as potências sobre o Irã, a guerra na Síria e o conflito israelo-palestino. Os Estados Unidos e a Rússia, copresidentes em Madri em 1991, já não atuam mais como mediadores para aliviar as tensões e, mais uma vez, assumem um lado entre as partes conflitantes.

No fórum da capital polonesa, a diplomacia dos EUA chegou a um impasse ao reunir mais de 60 países em uma reu…

Defesa russa: militares da Crimeia treinam utilização dos sistemas de mísseis S-400

Os militares das unidades de defesa antiaérea na Crimeia completaram a instrução para operar os sistemas de mísseis S-400. As informações foram divulgadas pela assessoria de imprensa do Distrito Militar Sul.


Sputnik

As unidades dos sistemas de defesa antiaérea implantados na Crimeia levaram a cabo com êxito treinamentos a fim de aperfeiçoar o uso dos sistemas de mísseis Tor-M2, Tunguska M1 e S-400, que entraram em serviço em 2018, diz-se no comunicado.


Sistemas de defesa antimíssil S-400 russos na Crimeia
S-400 Triumph na Crimeia © Sputnik / Sergei Malgavko

Em dois meses, os especialistas militares "assimilaram completamente os princípios de exploração e uso destes sistemas", relata o comunicado.

Nos polígonos da Crimeia, os militares treinaram o deslocamento dos complexos, sua colocação em prontidão de combate, verificaram os lançadores de mísseis, efetuaram o rastreamento e detecção de alvos aéreos, reconhecimento de alvos e sua classificação conforme o nível de perigo.

"Depois de concluírem os exercícios de tiro, as unidades de defesa antiaérea irão se deslocar com o novo material bélico, em regime combinado, para as suas bases", destacou.

O sistema de mísseis antiaéreos S-400 (AS-21 Growler, conforme a classificação da OTAN) é capaz de abater aparelhos aéreos com tecnologia furtiva, mísseis de cruzeiro e mísseis balísticos estratégicos e tático-operacionais.

O S-400 possui um alcance de até 400 km, variando conforme os mísseis utilizados. Por suas características, o sistema pertence à geração 4+, sendo duas vezes mais eficaz que seus antecessores.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas