Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Putin ameaça retaliar se EUA instalarem mísseis na Europa

Em seu discurso sobre o estado da nação, presidente russo faz ataques a Washington e promete apontar seu arsenal para os Estados Unidos e para o continente europeu se mísseis americanos atravessarem o Atlântico.
Deutsch Welle

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, alertou nesta quarta-feira (20/02) que seu país responderá a um possível envio de mísseis americanos à Europa, fazendo com que não apenas os países que receberem esses armamentos se tornem alvos, mas também os Estados Unidos.


Em seu discurso anual sobre o estado da nação em Moscou, Putin elevou o tom ao comentar uma nova e potencial corrida armamentista. Ele afirmou que a reação russa a um possível envio seria rigorosa e que as autoridades em Washington – algumas das quais estariam obcecadas com o "excepcionalismo" americano – deveriam calcular os riscos antes de tomar qualquer medida.

"É o direito deles de pensar da forma que quiserem. Mas eles sabem fazer cálculos? Tenho certeza que sabem. Deixemos que eles cal…

Departamento de Estado: EUA vai impor novas sanções contra a Rússia pelo caso Skripal

Os Estados Unidos pretendem avançar com a imposição de sanções adicionais contra a Rússia pelo ataque contra o agente russo Sergei Skripal, conforme exigido por lei, disse à Sputnik a porta-voz do Departamento de Estado, Heather Nauert.


Sputnik

"Hoje, o Departamento informou ao Congresso que não podíamos certificar que a Federação Russa atendia às condições exigidas pela Lei de Eliminação de Guerra e Controle de Armas Químicas e Biológicas de 1991", disse Nauert. "Pretendemos proceder de acordo com os termos da Lei CBW, que orienta a implementação de sanções adicionais".


Militares limpando os pontos relacionados ao envenenamento de Skripal em Salisbury.
© Sputnik / Alex McNaughton

Nauert acrescentou que o Departamento de Estado está consultando o Congresso sobre as sanções, como também é exigido pela lei.

Os Estados Unidos acusaram a Rússia de envolvimento no ataque do agente nervoso de 4 de março a Skripal e sua filha Yulia, na cidade inglesa de Salisbury, uma reivindicação repetidamente negada por Moscou.

"A Lei de Armas Biológicas Químicas determina que o Departamento de Estado certifique ao Congresso se a Rússia cumpriu as condições exigidas pela lei três meses após a determinação inicial do caso Skripal. Essa determinação inicial foi feita em 6 de agosto e isso nos leva a 6 de novembro", disse o porta-voz adjunto do Departamento de Estado, Robert Palladino, em uma coletiva de imprensa na semana passada.

As condições impostas por Washington a Moscou incluem a Rússia cessar suas alegadas armas químicas e garantir que não as utilizará, além de permitir que inspetores internacionais verifiquem essas garantias, segundo o Departamento de Estado.

Palladino também disse que não há cronograma associado às consultas do Departamento de Estado com o Congresso sobre a nova onda de sanções contra a Rússia.

O enviado russo aos Estados Unidos, Anatoly Antonov, disse que Moscou tem recebido informações conflitantes sobre os tipos de novas sanções norte-americanas que podem ser aplicadas.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas