Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Defesa do Brasil tem maior gasto com pessoal na década, e investimento militar cai

Despesas com ativos e inativos crescem R$ 7,1 bi em 2019, reflexo de aumento salarial
Por Igor Gielow e Gustavo Patu | Folha de S.Paulo

A previsão de gasto militar para o primeiro ano de governo do capitão reformado do Exército Jair Bolsonaro (PSL) traz o maior aumento de despesa com pessoal em dez anos e uma redução expressiva do investimento em programas de reequipamento das Forças Armadas.
Não fosse uma criatividade contábil dos militares, que conseguiram recursos com a capitalização de uma estatal para comprar novos navios, a despesa de investimento seria a menor desde 2009.

A Folha analisou a série histórica com a ferramenta de acompanhamento orçamentário Siga Brasil, do Senado. Para este ano, o Ministério da Defesa, ainda na gestão Michel Temer (MDB), planejou gastar R$ 104,2 bilhões, o quarto maior volume da Esplanada.

Desse montante, R$ 81,1 bilhões irão para pessoal, R$ 13,3 bilhões, para gastos correntes (custeio) e R$ 9,8 bilhões, para investimentos. Os valores não incluem o con…

Escassez de militares leva Reino Unido a procurar recrutas em outros países, relata jornal

O Reino Unido permitirá, pela primeira vez, que pessoas provenientes de outros países prestem serviço no seu Exército, escreve a edição britânica The Times.


Sputnik

Nos últimos três anos, o Exército britânico recrutou menos três mil soldados do que seria necessário, de acordo com o jornal. Além disso, no primeiro trimestre deste ano apenas 7% do número previsto de militares foram convocados ao serviço militar.


Militares britânicos em Vilnius, Lituânia
Militares britânicos © AP Photo / Mindaugas Kulbis

Como forma de lidar com a crescente crise associada à escassez de forças militares, o país britânico autorizará que pessoas que nunca viveram no país integrem as suas Forças Armadas.

O Ministério da Defesa britânico também decidiu cancelar a exigência de viver no país por cinco anos para cidadãos da Commonwealth (Comunidade das Nações), incluindo a Austrália, Índia e Canadá, além de pretender recrutar anualmente 1.350 militares de países estrangeiros.

A Marinha Real britânica iniciará o processo de convocação já no início do próximo ano.

Como observado pelo The Times, nos últimos três anos, o Exército britânico recrutou menos três mil soldados do que seria necessário. Durante o primeiro trimestre deste ano, apenas 7% do número exigido de militares foram convocados para o serviço militar.

Mark Francois, deputado do Partido Conservador britânico, comunicou que, segundo os dados apresentados ao Comitê de Defesa, se tudo correr como o esperado, neste ano o Exército atingirá apenas metade da meta de recrutamento.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas