Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Putin ameaça retaliar se EUA instalarem mísseis na Europa

Em seu discurso sobre o estado da nação, presidente russo faz ataques a Washington e promete apontar seu arsenal para os Estados Unidos e para o continente europeu se mísseis americanos atravessarem o Atlântico.
Deutsch Welle

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, alertou nesta quarta-feira (20/02) que seu país responderá a um possível envio de mísseis americanos à Europa, fazendo com que não apenas os países que receberem esses armamentos se tornem alvos, mas também os Estados Unidos.


Em seu discurso anual sobre o estado da nação em Moscou, Putin elevou o tom ao comentar uma nova e potencial corrida armamentista. Ele afirmou que a reação russa a um possível envio seria rigorosa e que as autoridades em Washington – algumas das quais estariam obcecadas com o "excepcionalismo" americano – deveriam calcular os riscos antes de tomar qualquer medida.

"É o direito deles de pensar da forma que quiserem. Mas eles sabem fazer cálculos? Tenho certeza que sabem. Deixemos que eles cal…

EUA anunciam países dispensados de sanções impostas ao Irã

O governo dos Estados Unidos sancionou nesta segunda-feira 700 indivíduos, empresas e entidades do Irã, entre elas a Organização da Energia Atômica da República Islâmica, mas anunciou que oito países - China, Índia, Itália, Grécia, Japão, Coreia do Sul, Taiwan e Turquia - estarão isentos dessas restrições.


EFE

Washington - O secretário de Estado americano, Mike Pompeo, anunciou em entrevista coletiva os oito países que estarão isentos durante seis meses das sanções que Washington voltou a impor hoje sobre Teerã como parte de sua decisão de voltar ao regime anterior à assinatura do acordo nuclear internacional firmado em julho de 2015.


O secretario de Estado dos Estados Unidos, Mike Pompeo (esq.), e o Secretario do Tesoro, Steven Mnuchin (dir.). EFE/ Michael Reynolds
O secretario de Estado dos Estados Unidos, Mike Pompeo (esq.), e o Secretario do Tesoro, Steven Mnuchin (dir.). EFE/ Michael Reynolds

Pompeo explicou que essas isenções foram concedidas sob "circunstâncias especiais" e indicou que, apesar da rejeição às sanções por parte da União Europeia (UE) e de outros países, "as companhias europeias já tomaram sua decisão" ao deixarem, em alguns casos, o mercado iraniano.

Além disso, o secretário de Estado considerou que os EUA foram "sinceramente muito claros" com todos os países europeus e garantiu que "muitos deles apoiam" as iniciativas de Washington para pressionar Teerã.

Em setembro, representantes da União Europeia (UE) e dos cinco países que seguem respaldando o pacto nuclear - Rússia, China, França, Reino Unido e Alemanha - chegaram a um acordo para criar uma entidade especial para facilitar os negócios com o Irã e evitar as sanções.

"No centro de nossos esforços está uma campanha sem precedentes de pressão econômica. Nosso objetivo é reduzir as receitas que o regime iraniano utiliza para financiar suas atividades desestabilizadoras no Oriente Médio e no mundo todo", frisou Pompeo.

O secretário de Estado americano expressou o desejo de Washington de estabelecer "um novo pacto" com o Irã, mas alertou que não voltará à mesa de negociações até que Teerã cumpra com uma série de requisitos em seu programa nuclear e de mísseis.

À 0h01 de Washington desta segunda-feira (3h em Brasília), entrou em vigor a nova rodada de sanções dos EUA, que incluem restrições à venda de petróleo e gás.

Entre os sancionados está a Organização da Energia Atômica do Irã, encarregada de implementar as restrições ao programa de energia nuclear do Irã; assim como 50 bancos, entre os quais se destacam o Banco de Desenvolvimento de Exportações do Irã e o Banco Central.

No total, incluindo as restrições a 700 indivíduos e entidades de hoje, Washington impôs mais de 900 sanções nos dois anos de governo do atual presidente Donald Trump, o que representa "o nível mais alto de pressão econômica" que os EUA jamais impuseram sobre Teerã, disse o Departamento do Tesouro americano em comunicado.

Comentários

Postagens mais visitadas