Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Irã ameaça romper limite de reservas de urânio; entenda o que país pode fazer se sair de acordo nuclear

Sem regulação, país pode adotar equipamentos mais modernos e rápidos e ampliar volume de enriquecimento de material que pode ser usado em armas nucleares. Acordo foi firmado em 2015 entre Irã e mais seis países, mas Trump retirou EUA em maio de 2018.
Associated Press

O Irã anunciou que irá exceder o limite de reservas de urânio determinado pelo acordo nuclear de 2015, ampliando as tensões no Oriente Médio.

O prazo de 27 de junho dado por Teerã vem antes de outra data limite, 7 de julho, para que a Europa apresente melhores termos para que o país permaneça no acordo. Se essa segunda data passar sem nenhuma ação, o presidente iraniano Hassan Rouhani diz que a república islâmica irá provavelmente retomar o alto enriquecimento de urânio.

Veja a seguir em que situação está o programa nuclear do Irã atualmente:

O acordo nuclear

O Irã fechou um acordo nuclear em 2015 com Estados Unidos, França, Alemanha, Reino Unido, Rússia e China. O acordo, formalmente conhecido como Plano de Ação Conjunto Abran…

'EUA estão furiosos': mídia britânica está preocupada com caças russos Su-27 (VIDEO)

O tabloide britânico The Daily Express publicou um artigo relatando a intercepção de um avião de reconhecimento dos EUA por um caça russo Su-27 sobre o mar Negro, mas sem informar que o incidente aconteceu perto das fronteiras do espaço aéreo da Rússia.


Sputnik

O artigo é intitulado "'Esperamos que eles se comportem bem': EUA estão furiosos depois de um caça russo fazer intercepção perigosa". No entanto, o artigo não apresenta citações sobre a "fúria" ou sobre o "bom comportamento".


russian plane
Russian Su-27 jet fighter gets too close to a US EP-3 Aries aircraft (Image: EPA/US NAVY HANDOUT)

A publicação alega que o caça russo passou em alta velocidade diretamente pela frente da aeronave de reconhecimento eletrônico EP-3E Aries da Marinha dos EUA e, portanto, criou um "risco para os pilotos" e "turbulência".

Ao mesmo tempo, o autor do artigo omite que a aeronave norte-americana se aproximou da fronteira da Rússia e continuou a voar em direção ao espaço aéreo do país. Por isso o Su-27 foi forçado a se aproximar para identificar a aeronave de reconhecimento e exigir respeito pela distância.

Conforme o Ministério da Defesa da Rússia, a tripulação do caça russo agiu em conformidade com todas as medidas de segurança necessárias, mas o artigo não menciona nada sobre isso. Entretanto, o autor privilegiou em detrimento da posição de Moscou a avaliação das autoridades norte-americanas sobre o direito que o piloto russo tinha de estar "no espaço aéreo internacional".

O The Daily Express também afirma que o secretário de Defesa britânico, Gavin Williamson, apoia a OTAN no contexto de "preocupação crescente" com as ações da Rússia.



Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas