Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

EUA: sanções contra Venezuela servem como 'alerta para atores externos, incluindo Rússia'

Na última terça-feira (17), o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, culpou a Rússia e a Venezuela pela crise de refugiados observada no país latino-americano.
Sputnik

O conselheiro de Segurança Nacional dos EUA, John Bolton, anunciou nesta quarta-feira (17) que os EUA estão impondo uma nova rodada de sanções contra a Venezuela, acrescentando o banco central do país à lista de restrições. 

Segundo o conselheiro de Segurança Nacional, as sanções recém-aplicadas deveriam se tornar um alerta para "todos os atores externos, inclusive a Rússia".

Desde o início da crise política na Venezuela no início deste ano, os EUA impuseram várias rodadas de sanções, visando os setores petrolífero e bancário do país, bem como indivíduos ligados às autoridades do país.

A Venezuela está sofrendo grave crise política desde janeiro. Junto com outros países ocidentais, os EUA apoiam Juan Guaidó, que se proclamou presidente interino da Venezuela. Ao mesmo tempo, Rússia, China e Turquia, entre outros…

Lavrov: ataques israelenses à Síria só agravarão as tensões na região

Ataques israelenses à Síria não irão resolver os problemas de Tel Aviv. Contribuirão apenas para aumentar as tensões na região, conforme afirmou nesta segunda-feira o ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov.


Sputnik

"Operações militares não podem resolver as preocupações de segurança israelenses, mas apenas ajudar a aumentar as tensões regionais", disse o chanceler russo ao periódico espanhol El País.


Ministro das Relações Exteriores da Federação da Rússia, Sergei Lavrov, durante cúpula da Organização do Acordo de Segurança Coletiva em Minsk, em 30 de novembro de 2017 (arquivo)
Sergei Lavrov | Sputnik

De acordo com o diplomata, Israel nem sempre cumpre suas obrigações internacionais, e isso fica evidente quando o país ignora os avisos de militares russos contra suas operações no território sírio.

"Em alguns casos, isso colocou em risco a vida e a saúde de nossos soldados na Síria. Por exemplo, quando aviões israelenses bombardearam alvos perto de Palmira em março de 2017", destacou o chefe da diplomacia da Federação da Rússia.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas