Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Capacetes brancos preparam novas provocações na Síria, diz enviado russo na ONU

Membros dos Capacetes Brancos estão preparando novas provocações com substâncias tóxicas na Síria, disse o vice-embaixador russo na ONU, Vladimir Safronkov, nesta quarta-feira (24) na reunião do Conselho de Segurança da ONU.
Sputnik

Safronkov observou que os Capacetes Brancos acusariam o governo sírio pelo uso de tais substâncias.

Mais cedo nesta quarta-feira (24), o Major General Viktor Kupchishin, chefe do Centro Russo para a Reconciliação Síria, argumentou que funcionários da mídia estrangeira na província síria de Hama conduziram uma filmagem falsa da "morte" de uma família supostamente devido ao uso de armas químicas pelas tropas sírias.

Em diversas ocasiões, Moscou e Damasco apontaram que os Capacetes Brancos estavam produzindo provocações envolvendo o uso de armas químicas com o objetivo de culpar o governo da Síria e dar aos países ocidentais justificativas para a intervenção no país.
A estratégia de encenar ataques para usá-los como falsa bandeira tem sido usada repetida…

Merkel vê avanço na situação da Síria e Putin pede apoio a refugiados que retornam ao país

A chanceler alemã, Angela Merkel, disse enxergar desenvolvimentos positivos na Síria e observou a importância de se prevenir uma catástrofe humanitária no país. A declaração veio antes do encontro com o presidente russo, Vladimir Putin.


Sputnik

"Um tópico importante, é claro, será a Síria. É claro que devemos, antes de mais nada, evitar a catástrofe humanitária em torno e neste país. Estamos vendo uma diminuição nas hostilidades, mas isso não significa que temos uma situação pacífica", afirmou Merkel.


O presidente russo, Vladimir Putin, e a chanceler alemã, Angela Merkel, se reúnem na residência presidencial em Sochi, em 1 de janeiro de 2007
Vladimir Putin e Angela Merkel © Sputnik / Dmitry Astakhov

Ao mesmo tempo, Putin pediu apoio às regiões sírias que devem começar a experimentar o retorno de refugiados, inclusive dos países europeus que sofrem com a onda migratória desde o agravamento da guerra civil no país.

"Vamos discutir a situação no Oriente Médio, principalmente em relação à Síria. É importante desenvolver o componente humanitário do conflito sírio, ou seja, a prestação de assistência humanitária para o povo sírio e auxílio a essas áreas para onde os refugiados que estão exterior podem retornar", disse Putin a repórteres.

O líder russo observou que, embora a maioria dos refugiados que retornam à Síria sejam oriundos da Jordânia, da Turquia e do Líbano, a situação coloca uma pressão potencial sobre a Europa.

"Ajudar na restauração das coisas mais básicas: abastecimento de água e saneamento, revitalização da dos serviços de saúde. Acho que todos estão interessados ​​nisso, inclusive na Europa", destacou Putin.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas