Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha do Brasil prevê inaugurar estação na Antártica em 2020, oito anos após incêndio

Obra é executada por uma empresa chinesa e, segundo a Marinha, se aproxima do final. Incêndio em 2012 destruiu estação, e dois militares morreram.
Por Guilherme Mazui | G1 — Brasília

Passados sete anos desde o incêndio que destruiu a Estação Antártica Comandante Ferraz, a Marinha prevê inaugurar a nova estação em março de 2020.

Executada pela empresa chinesa Ceiec, a obra se aproxima do final, segundo a Marinha, que prevê concluir as obras civis e a instalação de máquinas e mobiliário até 31 de março, iniciando um período de testes do complexo científico até março de 2020. Após os testes, a estação poderá receber militares e pesquisadores.

"A previsão de inauguração é março de 2020, quando os pesquisadores e o Grupo-Base [de militares] deverão ocupar em definitivo as instalações da nova Estação Antártica Comandante Ferraz", informou a Marinha ao G1.

Com investimento de US$ 99,6 milhões, o complexo receberá profissionais que atuam no Programa Antártico Brasileiro (Proantar), criad…

Mídia aponta países interessados em comprar S-400 russos apesar das sanções americanas

Ao menos 13 países estão interessados em adquirir os sistemas de defesa antiaérea russos S-400 em vez de plataformas estadunidenses, apesar da ameaça das sanções por parte dos EUA, comunicou o canal CNBC, citando fontes próximas à inteligência norte-americana.


Sputnik

Um dos interlocutores do canal, que pediu anonimato, afirmou que entre os países que já expressaram seu interesse nos sistemas russos estão a Arábia Saudita, Qatar, Argélia, Marrocos, Egito, Vietnã e Iraque. Mas, sublinha o artigo, Washington espera que alguns países acabem por desistir sob a pressão diplomática.


Complexo de sistema S-400 (foto de arquivo)
S-400 Triumph © Sputnik / Sergei Malgavko

Conforme a lei CAATSA (Lei de Contenção de Adversários da América Através de Sanções), os EUA podem sancionar os países que comprem armamentos russos, em especial os sistemas S-300 e S-400.

Respondendo à pergunta por que os países preferem os S-400 russos aos sistemas americanos THAAD ou Patriot, a fonte do canal sublinhou que muitos países não estão dispostos a seguir com o complexo processo de compra de armas ao governo dos EUA.

"Muitos destes países não querem esperar pelos obstáculos regulatórios dos EUA. O S-400 tem menos restrições de exportação", explicou o interlocutor da mídia.

Além disso, as armas russas são geralmente consideradas menos caras do que as americanas.

A China, Índia e Turquia já firmaram acordos de compra dos sistemas S-400 com o Kremlin. A China, envolvida na guerra comercial com os EUA, está em vias de receber a última remessa do sistema russo. A Índia assinou o contrato com Moscou no mês passado. A Turquia deverá receber os sistemas russos no próximo ano.

Os S-400 Triumph (SA-21 Growler, na classificação da OTAN) são a nova geração russa de sistemas de defesa aérea. O sistema pode carregar três tipos diferentes de mísseis, capazes de destruir uma variedade de alvos aéreos, desde aeronaves de reconhecimento a mísseis balísticos.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas