Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Empresa chinesa faz peças para F-35? Revelação surge em meio a polêmicas envolvendo Huawei

Em meio à briga contínua entre os EUA e a gigante tecnológica chinesa Huawei, classificada como ameaça à segurança por Washington, verificou-se que uma subsidiária com sede no Reino Unido de uma companhia chinesa fabrica peças para os jatos americanos F-35.
Sputnik

Trata-se da companhia chinesa Exception PCB, com sede no condado britânico de Gloucestershire, que fabrica placas de circuitos que controlam os motores, iluminação, combustível e sistemas de navegação dos caças F-35 – o sistema de armas mais caro já feito.

De acordo com a emissora britânica Sky, citando materiais divulgados pelo Ministério da Defesa do Reino Unido, a empresa que fabrica componentes para os caças da Lockheed Martin foi comprada em 2013 pela companhia chinesa Shenzhen Fastprint, que inclusive já participou da fabricação de caças Eurofighter Typhoon e de helicópteros de ataque Apache.

"A Exception PCB, com sede em Gloucestershire, fabrica placas de circuito impresso que controlam muitas das principais capacid…

Mídia: avião militar dos EUA entrou no espaço aéreo sobre mar Negro

Um avião de reconhecimento da Força Aérea dos Estados Unidos, Boeing RC-135V, levantou voo da base aérea da baía de Suda, Grécia, rumo às águas do mar Negro em meio ao agravamento das relações entre Moscou e Kiev devido ao incidente no mar Negro, comunicou nesta segunda-feira (26) um portal ucraniano.


Sputnik

"Um avião de reconhecimento dos EUA entrou nas águas do mar Negro. Às 7h50 [3h50 em Brasília], um avião de reconhecimento da Força Aérea dos EUA, Boeing RC-135V, designado BASTE41, levantou voo da base aérea da baía de Suda, da ilha grega de Creta, e se dirigiu às águas do mar Negro", lê-se no comunicado.


Boeing RC-135V norte-americano
CC BY-SA 2.0 / Alan Wilson / Boeing RC-135V

Às 8h30 (4h30 em Brasília), segundo o portal, o avião esteve no espaço aéreo búlgaro, movendo-se em direção à costa da Crimeia.

Mais cedo, o Serviço Federal de Segurança da Rússia (FSB) informou que os navios Berdyansk, Nikopol e Yana Kapu, da Marinha da Ucrânia, foram detidos por violarem a fronteira marítima russa.

Os navios ucranianos apreendidos não teriam respondido às exigências feitas pelos navios russos que os abordaram, além de terem realizado manobras perigosas, segundo o FSB. Também foi aberto um processo criminal para investigar a violação da fronteira da Rússia.

As Forças Armadas e o Serviço de Segurança da Ucrânia foram colocados em alerta de combate, segundo comunicou a assessoria do Ministério da Defesa do país. A ordem se baseia na decisão do Conselho Nacional de Segurança e Defesa da Ucrânia de impor a Lei Marcial no país por 60 dias.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas