Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Irã ameaça romper limite de reservas de urânio; entenda o que país pode fazer se sair de acordo nuclear

Sem regulação, país pode adotar equipamentos mais modernos e rápidos e ampliar volume de enriquecimento de material que pode ser usado em armas nucleares. Acordo foi firmado em 2015 entre Irã e mais seis países, mas Trump retirou EUA em maio de 2018.
Associated Press

O Irã anunciou que irá exceder o limite de reservas de urânio determinado pelo acordo nuclear de 2015, ampliando as tensões no Oriente Médio.

O prazo de 27 de junho dado por Teerã vem antes de outra data limite, 7 de julho, para que a Europa apresente melhores termos para que o país permaneça no acordo. Se essa segunda data passar sem nenhuma ação, o presidente iraniano Hassan Rouhani diz que a república islâmica irá provavelmente retomar o alto enriquecimento de urânio.

Veja a seguir em que situação está o programa nuclear do Irã atualmente:

O acordo nuclear

O Irã fechou um acordo nuclear em 2015 com Estados Unidos, França, Alemanha, Reino Unido, Rússia e China. O acordo, formalmente conhecido como Plano de Ação Conjunto Abran…

Militar sírio: após entrega dos S-300 à Síria, Israel já não ataca território do país

A Força Aérea de Israel não tem atacado a Síria depois de a Rússia ter entregue ao exército da república árabe sistemas de defesa antiaérea S-300, comunicou nesta segunda-feira (5) a edição Al-Masdar News, citando uma fonte militar em Damasco.


Sputnik

De acordo com a fonte, a Força Aérea de Israel continua efetuando voos ao longo das fronteiras sírias na região do Líbano Oriental. Contudo, não foram registrados casos de violação do espaço aéreo da Síria deste a entrega dos sistemas S-300 ao país, ou seja, desde o início de outubro.


O sistema de mísseis S-300 terra-ar com alcance de 100 km
S-300 Favorit © Sputnik / Uriy Shipilov

Além disso, a fonte desmentiu as informações publicadas anteriormente pela agência Reuters, segundo as quais a Força Aérea israelense alegadamente teria atacado alvos no território da Síria após o incidente com o avião de reconhecimento russo Il-20, que na madrugada do dia 18 de setembro foi abatido perto do litoral do mar Mediterrâneo.

O interlocutor da agência acrescentou também que, no momento, os militares russos continuam treinando os especialistas sírios para operarem os sistemas S-300 nas províncias de Latakia e Hama.

A Rússia completou a entrega dos S-300 à Síria no início de outubro. Os sistemas fornecidos possuem um alcance de até 250 quilômetros e também são capazes de destruir tanto aeronaves de guerra eletrônica como aviões com sistema AWACS (Sistema Aéreo de Alerta e Controle).

A decisão sobre a entrega dos armamentos russos foi tomada depois de um incidente em 17 de setembro, quando um míssil S-200 do sistema de defesa aérea sírio abateu por engano um avião russo Il-20, que estava voltando para a base de Hmeymim. A tragédia tirou a vida a 15 militares russos.

O Ministério da Defesa russo responsabilizou pelo incidente a Força Aérea de Israel, afirmando que um caça israelense utilizou o avião russo como escudo contra os sistemas antiaéreos sírios.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas