Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Irã ameaça romper limite de reservas de urânio; entenda o que país pode fazer se sair de acordo nuclear

Sem regulação, país pode adotar equipamentos mais modernos e rápidos e ampliar volume de enriquecimento de material que pode ser usado em armas nucleares. Acordo foi firmado em 2015 entre Irã e mais seis países, mas Trump retirou EUA em maio de 2018.
Associated Press

O Irã anunciou que irá exceder o limite de reservas de urânio determinado pelo acordo nuclear de 2015, ampliando as tensões no Oriente Médio.

O prazo de 27 de junho dado por Teerã vem antes de outra data limite, 7 de julho, para que a Europa apresente melhores termos para que o país permaneça no acordo. Se essa segunda data passar sem nenhuma ação, o presidente iraniano Hassan Rouhani diz que a república islâmica irá provavelmente retomar o alto enriquecimento de urânio.

Veja a seguir em que situação está o programa nuclear do Irã atualmente:

O acordo nuclear

O Irã fechou um acordo nuclear em 2015 com Estados Unidos, França, Alemanha, Reino Unido, Rússia e China. O acordo, formalmente conhecido como Plano de Ação Conjunto Abran…

ONU concede isenção a sanções sobre Pyongyang para realizar projeto com Seul

O Conselho de Segurança da ONU concedeu uma isenção às sanções impostas a Pyongyang para a execução de um projeto ferroviário com Seul, que disse neste sábado que a decisão impulsionará "uma nova etapa" na cooperação intercoreana.


EFE

Seul - "Isto significa que o projeto foi reconhecido e apoiado pelos Estados Unidos e pela comunidade internacional. A cooperação intercoreana entrará em uma nova etapa", disse em comunicado o escritório presidencial sul-coreano em relação ao projeto, destinado a modernizar e eventualmente conectar os trens de ambos países.


Conselho de segurança em foto de 19 de novemvro. EFE/Rick Bajornas/ONU
Conselho de segurança em foto de 19 de novemvro. EFE/Rick Bajornas/ONU

O Conselho de Segurança das Nações Unidas aprovou por consenso nesta sexta-feira a decisão de outorgar uma isenção para permitir o envio ao Norte de combustível e outros materiais para o projeto, que nas circunstâncias atuais estariam proibidos pelas sanções que pesam sobre Pyongyang por seus programas armamentísticos, segundo revelou uma fonte diplomática à agência de notícias "Yonhap".

Seul tinha solicitado uma isenção temporária para poder efetuar estudos de campo no Norte como parte do projeto de reconexão ferroviária, estipulado na cúpula intercoreana de setembro.

O início dos trabalhos foi atrasado durante meses depois que o Comando das Nações Unidas, liderado pelos Estados Unidos, bloqueou o acesso dos materiais alegando problemas de procedimento.

O bloqueio foi interpretado por alguns como uma expressão do descontentamento de Washington diante de uma possível violação das sanções impostas ao regime norte-coreano e da aceleração da cooperação intercoreana em um momento no qual as negociações sobre a desnuclearização do Norte estão aparentemente estancadas.

Com a isenção concedida, Sul e Norte esperam realizar antes de fim de ano uma cerimônia para marcar o início dos trabalhos.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas