Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha do Brasil prevê inaugurar estação na Antártica em 2020, oito anos após incêndio

Obra é executada por uma empresa chinesa e, segundo a Marinha, se aproxima do final. Incêndio em 2012 destruiu estação, e dois militares morreram.
Por Guilherme Mazui | G1 — Brasília

Passados sete anos desde o incêndio que destruiu a Estação Antártica Comandante Ferraz, a Marinha prevê inaugurar a nova estação em março de 2020.

Executada pela empresa chinesa Ceiec, a obra se aproxima do final, segundo a Marinha, que prevê concluir as obras civis e a instalação de máquinas e mobiliário até 31 de março, iniciando um período de testes do complexo científico até março de 2020. Após os testes, a estação poderá receber militares e pesquisadores.

"A previsão de inauguração é março de 2020, quando os pesquisadores e o Grupo-Base [de militares] deverão ocupar em definitivo as instalações da nova Estação Antártica Comandante Ferraz", informou a Marinha ao G1.

Com investimento de US$ 99,6 milhões, o complexo receberá profissionais que atuam no Programa Antártico Brasileiro (Proantar), criad…

Operação militar e posterior protesto deixam 8 mortos na Caxemira indiana

Pelo menos seis insurgentes, um soldado e um civil morreram em uma operação das forças de segurança na Caxemira indiana e os protestos que seguiram à mesma, no segundo confronto de grandes proporções nas últimas 48 horas, elevando para 12 o número de rebeldes abatidos nesse período.


EFE

Srinagar (Índia) - A operação começou ontem à noite em uma aldeia do distrito de Shopian e derivou de madrugada em confrontos entre as tropas indianas e os insurgentes, o que provocou manifestações nas quais vários civis ficaram feridos.


Militar indiano em foto de 22 de novembro. EFE/ Farooq Khan
Militar indiano em foto de 22 de novembro. EFE/ Farooq Khan

"Seis insurgentes morreram na operação 'Batagund', enquanto um soldado também perdeu a vida", disse hoje à Agência Efe o porta-voz do Exército na Caxemira, coronel Rajesh Kalia.

Um grupo de manifestantes saiu às ruas da aldeia pouco depois de se saber a notícia da operação na região e jogaram pedras contra as forças de segurança para tentar sabotar a ofensiva, mas as tropas responderam a tiros e com balas de chumbo para dispersar à multidão.

Um jovem manifestante, identificado como Noman, foi ferido à bala e morreu por causa dos ferimentos, informou à Efe uma fonte médica que pediu o anonimato.

Um médico de Shopian que também preferiu o anonimato confirmou à Efe que no hospital que trabalha chegaram pelo menos quatro feridos, um dos quais, um jovem identificado como Faizan, foi levado para Srinagar devido à gravidade de seus ferimentos.

As autoridades suspenderam os serviços de internet no distrito e impuseram restrições em várias áreas para tentar evitar mais protestos.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas