Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Empresa chinesa faz peças para F-35? Revelação surge em meio a polêmicas envolvendo Huawei

Em meio à briga contínua entre os EUA e a gigante tecnológica chinesa Huawei, classificada como ameaça à segurança por Washington, verificou-se que uma subsidiária com sede no Reino Unido de uma companhia chinesa fabrica peças para os jatos americanos F-35.
Sputnik

Trata-se da companhia chinesa Exception PCB, com sede no condado britânico de Gloucestershire, que fabrica placas de circuitos que controlam os motores, iluminação, combustível e sistemas de navegação dos caças F-35 – o sistema de armas mais caro já feito.

De acordo com a emissora britânica Sky, citando materiais divulgados pelo Ministério da Defesa do Reino Unido, a empresa que fabrica componentes para os caças da Lockheed Martin foi comprada em 2013 pela companhia chinesa Shenzhen Fastprint, que inclusive já participou da fabricação de caças Eurofighter Typhoon e de helicópteros de ataque Apache.

"A Exception PCB, com sede em Gloucestershire, fabrica placas de circuito impresso que controlam muitas das principais capacid…

'Passo histórico e correto', diz Netanyahu sobre mudança de embaixada brasileira

O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, disse nesta quinta-feira (1) que a decisão do presidente eleito Jair Bolsonaro de realocar a embaixada do país sul-americano em Israel de Tel Aviv para Jerusalém é uma medida histórica e correta.


Sputnik

Bolsonaro confirmou que pretende transferir a embaixada brasileira ao jornal Israel Hayomia.


Primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu
Benjamin Netanyahu © AP Photo / Gali Tibbon/Pool

"Felicito o meu amigo presidente eleito, Jair Bolsonaro, por sua intenção de transferir a embaixada brasileira para Jerusalém, um passo histórico, correto e emocionante!", escreveu o premiê israelense no Twitter.

Se o Brasil realocar sua embaixada em Israel para Jerusalém, será o terceiro país a fazê-lo, seguindo o exemplo dos Estados Unidos e da Guatemala.

Os palestinos e o mundo árabe condenam essas medidas, enquanto a Organização das Nações Unidas (ONU) insta seus Estados membros a absterem-se de mover missões diplomáticas para Jerusalém até que o status legal da cidade seja estabelecido.

Israel ocupou a região leste de Jerusalém no ano de 1967 na Guerra dos Seis Dias, e depois anexou a área, um movimento que nunca foi reconhecido pela comunidade internacional.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas