Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha do Brasil prevê inaugurar estação na Antártica em 2020, oito anos após incêndio

Obra é executada por uma empresa chinesa e, segundo a Marinha, se aproxima do final. Incêndio em 2012 destruiu estação, e dois militares morreram.
Por Guilherme Mazui | G1 — Brasília

Passados sete anos desde o incêndio que destruiu a Estação Antártica Comandante Ferraz, a Marinha prevê inaugurar a nova estação em março de 2020.

Executada pela empresa chinesa Ceiec, a obra se aproxima do final, segundo a Marinha, que prevê concluir as obras civis e a instalação de máquinas e mobiliário até 31 de março, iniciando um período de testes do complexo científico até março de 2020. Após os testes, a estação poderá receber militares e pesquisadores.

"A previsão de inauguração é março de 2020, quando os pesquisadores e o Grupo-Base [de militares] deverão ocupar em definitivo as instalações da nova Estação Antártica Comandante Ferraz", informou a Marinha ao G1.

Com investimento de US$ 99,6 milhões, o complexo receberá profissionais que atuam no Programa Antártico Brasileiro (Proantar), criad…

Pentágono acha que Rússia será incapaz de manter seu potencial militar

O chefe do Estado-Maior Conjunto dos EUA, general Joseph Dunford, afirmou que é improvável que a Rússia represente a mesma ameaça que a China representará aos EUA em 2025-2035.


Sputnik

Segundo o general, os anos 2025-2035 são a "referência pela qual avaliamos nossa capacidade de desempenhar nossas funções" no futuro.


Resultado de imagem para Joseph Dunford
General Joseph Dunford | Marine Corps

"Seremos capazes de alcançar maiores capacidades que a China e, possivelmente, a Rússia, que é improvável que consiga manter o mesmo nível que tem agora. Os indicadores demográficos e econômicos estão caindo lá. E eu não acho que em 2025-2035 a Rússia represente a mesma ameaça significativa que a China."

O chefe do Estado-Maior americano adiciona que a Rússia continuará a ter o mesmo potencial militar e que a China tem mais chances de aumentar suas capacidades.

"Na minha opinião, o que eles fizeram em termos de aumentar seu potencial militar nos últimos anos continuará […] Acho que nos próximos 20-30 anos é a China que devemos ver como uma ameaça."

Em setembro, o secretário de Defesa dos EUA, James Mattis, classificou as armas nucleares da Rússia como a principal ameaça externa a seu país.

Recentemente, o Pentágono promulgou a doutrina nuclear dos EUA, na qual é prestada grande atenção ao desenvolvimento das forças nucleares russas.

No documento é afirmado que os EUA continuarão investindo no desenvolvimento de ogivas nucleares e modernizando elementos de sua "tríade nuclear" — mísseis intercontinentais, submarinos estratégicos e bombardeiros.

Apesar de Moscou negar veemente qualquer tipo de ataque a países da OTAN, as declarações sem fundamentos sobre uma suposta "ameaça russa" continuam. O ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, disse que a organização está ciente de que da Rússia não tem planos de realizar qualquer ataque, e que a OTAN simplesmente aproveita a ocasião para instalar mais equipamentos e batalhões perto das fronteiras russas.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas