Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Irã ameaça romper limite de reservas de urânio; entenda o que país pode fazer se sair de acordo nuclear

Sem regulação, país pode adotar equipamentos mais modernos e rápidos e ampliar volume de enriquecimento de material que pode ser usado em armas nucleares. Acordo foi firmado em 2015 entre Irã e mais seis países, mas Trump retirou EUA em maio de 2018.
Associated Press

O Irã anunciou que irá exceder o limite de reservas de urânio determinado pelo acordo nuclear de 2015, ampliando as tensões no Oriente Médio.

O prazo de 27 de junho dado por Teerã vem antes de outra data limite, 7 de julho, para que a Europa apresente melhores termos para que o país permaneça no acordo. Se essa segunda data passar sem nenhuma ação, o presidente iraniano Hassan Rouhani diz que a república islâmica irá provavelmente retomar o alto enriquecimento de urânio.

Veja a seguir em que situação está o programa nuclear do Irã atualmente:

O acordo nuclear

O Irã fechou um acordo nuclear em 2015 com Estados Unidos, França, Alemanha, Reino Unido, Rússia e China. O acordo, formalmente conhecido como Plano de Ação Conjunto Abran…

'Provocação da Ucrânia': Rússia convoca reunião urgente do Conselho de Segurança da ONU

A Rússia solicitou uma reunião urgente dos membros do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) para as 14h (horário de Brasília) desta segunda-feira (26) para discutir a situação no mar de Azov, disse o primeiro vice-embaixador russo à ONU, Dmitry Polyansky.


Sputnik

Em sua conta no Twitter, Dmitry Polyansky afirmou que a reunião foi marcada para discutir "provocações perigosas da Ucrânia no mar de Azov e no estreito de Kerch, próximo à Crimeia, colocando em risco a paz e a segurança internacional".


Embaixador da Rússia na ONU, Vassily Nebenzia, fala durante um encontro do Consleho de Segurança da ONU, em 18 de Abril de 2018.
Embaixador da Rússia na ONU, Vassily Nebenzia © AP Photo / Mary Altaffer

No domingo (25), três navios da Marinha ucraniana, em violação dos artigos 19 e 21 da Convenção da ONU sobre o Direito do Mar, cruzaram a fronteira marítima russa.

O navios adentraram uma área temporariamente fechada das águas territoriais russas e se moviam do mar Negro em direção ao Estreito de Kerch, de acordo com o Serviço Federal de Segurança da Rússia (FSB).

Um outro grupo de navios se dirigia para o Estreito de Kerch a partir do porto de Berdyansk, no mar de Azov. O Estreito de Kerch, que liga o mar Negro ao mar de Azov, foi fechado pela Rússia no domingo (26) para navios civis devido a razões de segurança.

​No mesmo dia, o FSB informou que os mesmos três navios da Marinha da Ucrânia — Berdyansk, Nikopol e Yany Kapu — haviam sido detidos por violaren a fronteira da Rússia. Segundo observado pelo FSB, os navios ucranianos não reagiram às exigências legais dos navios que os abordaram e fizeram manobras perigosas.

"Em conexão com o desenvolvimento perigoso da situação no Mar de Azov e os eventos que se seguiram, a Rússia requisitou uma convocação urgente de uma reunião aberta do Conselho de Segurança na manhã de 26 de novembro sob o item da agenda 'Manutenção de paz e segurança internacional", disse Polyansky.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas