Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Irã ameaça romper limite de reservas de urânio; entenda o que país pode fazer se sair de acordo nuclear

Sem regulação, país pode adotar equipamentos mais modernos e rápidos e ampliar volume de enriquecimento de material que pode ser usado em armas nucleares. Acordo foi firmado em 2015 entre Irã e mais seis países, mas Trump retirou EUA em maio de 2018.
Associated Press

O Irã anunciou que irá exceder o limite de reservas de urânio determinado pelo acordo nuclear de 2015, ampliando as tensões no Oriente Médio.

O prazo de 27 de junho dado por Teerã vem antes de outra data limite, 7 de julho, para que a Europa apresente melhores termos para que o país permaneça no acordo. Se essa segunda data passar sem nenhuma ação, o presidente iraniano Hassan Rouhani diz que a república islâmica irá provavelmente retomar o alto enriquecimento de urânio.

Veja a seguir em que situação está o programa nuclear do Irã atualmente:

O acordo nuclear

O Irã fechou um acordo nuclear em 2015 com Estados Unidos, França, Alemanha, Reino Unido, Rússia e China. O acordo, formalmente conhecido como Plano de Ação Conjunto Abran…

Restrições dos EUA são 'golpe crítico' contra presença iraniana na Síria, diz Israel

A restauração das sanções americanas contra o Irã é um "golpe crítico" contra sua presença no Oriente Médio, inclusive na Síria, declarou o ministro da Defesa de Israel, Avigdor Lieberman.


Sputnik

O segundo pacote de sanções dos EUA, que tem como alvo o setor energético do Irã, entrou em vigor nesta segunda-feira (5). Washington fala sobre esforços para bloquear totalmente a exportação do petróleo iraniano e insta a comunidade mundial a abandonar as compras deste combustível aos iranianos.


Resultado de imagem para Avigdor Lieberman
Ministro da Defesa de Israel, Avigdor Lieberman | Reprodução

"A decisão ousada do presidente Trump é a mudança radical que o Oriente Médio estava esperando. Em um único movimento, os Estados Unidos dão um 'golpe crítico' contra o fortalecimento do Irã na Síria, Líbano, Gaza, Iraque e Iêmen. Presidente Trump, você fez isso de novo! Obrigado", disse o ministro israelense em seu Twitter.

Além disso, as sanções americanas também foram classificadas pelo Ministério das Relações Exteriores de Israel como "um importante passo para convencer os aiatolás a abandonar as atividades terroristas que ameaçam a região".

Recentemente, o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, agradeceu o presidente dos EUA por seu "passo histórico".

"Obrigado, presidente Trump, por este passo histórico. As sanções estão realmente começando", disse o premiê de Israel, adicionando que "o efeito das sanções iniciais já está sendo sentido", a moeda nacional iraniana está em declínio.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas