Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha do Brasil prevê inaugurar estação na Antártica em 2020, oito anos após incêndio

Obra é executada por uma empresa chinesa e, segundo a Marinha, se aproxima do final. Incêndio em 2012 destruiu estação, e dois militares morreram.
Por Guilherme Mazui | G1 — Brasília

Passados sete anos desde o incêndio que destruiu a Estação Antártica Comandante Ferraz, a Marinha prevê inaugurar a nova estação em março de 2020.

Executada pela empresa chinesa Ceiec, a obra se aproxima do final, segundo a Marinha, que prevê concluir as obras civis e a instalação de máquinas e mobiliário até 31 de março, iniciando um período de testes do complexo científico até março de 2020. Após os testes, a estação poderá receber militares e pesquisadores.

"A previsão de inauguração é março de 2020, quando os pesquisadores e o Grupo-Base [de militares] deverão ocupar em definitivo as instalações da nova Estação Antártica Comandante Ferraz", informou a Marinha ao G1.

Com investimento de US$ 99,6 milhões, o complexo receberá profissionais que atuam no Programa Antártico Brasileiro (Proantar), criad…

Rússia convoca embaixador da Áustria em meio a acusações de espionagem

O Ministério das Relações Exteriores da Rússia convocou nesta sexta-feira o embaixador da Áustria no país, Johannes Eigner, após as informações de Viena de que um militar austríaco supostamente trabalhou como espião para a Rússia durante duas décadas.


EFE

Moscou - "O embaixador austríaco foi convocado ao Ministério", confirmou uma fonte do governo russo à agência "Interfax".


O ministro das Relações Exteriores russo, Sergei Lavrov. EFE/ Maxim Shipenkov
O ministro das Relações Exteriores russo, Sergei Lavrov. EFE/ Maxim Shipenkov

Moscou rejeitou as acusações do governo austríaco e lamentou que o país não siga as condutas diplomáticas tradicionais estabelecidas para esses casos.

"Acabo de saber disso. É uma surpresa muito desagradável", disse o ministro das Relações Exteriores russo, Sergei Lavrov, em entrevista coletiva depois de se reunir com o chefe da diplomacia das Ilhas Comores, Mohammed al Amin Seif, em Moscou.

Segundo o ministro, as regras diplomáticas preveem uma comunicação direta entre as partes caso haja suspeitas como as de agora.

Por outro lado, Lavrov lamentou o fato de a Áustria e outros países europeus "preferirem ultimamente acusar publicamente" a Rússia através da "diplomacia do megafone" e "exigirem explicações sobre assuntos que não são de conhecimento" do governo russo.

O ministro russo adiantou que Moscou vai expor seu ponto de vista ao embaixador austríaco que foi convocado nesta sexta-feira ao Ministério das Relações Exteriores.

O chanceler da Áustria, Sebastian Kurz, informou hoje que seu governo está investigando se um coronel reformado praticou espionagem para o serviço de inteligência russo durante 20 anos.

"Existe a suspeita na Áustria de que um coronel reformado do exército austríaco trabalhou com o serviço de inteligência russo e o ajudou durante muitos anos", disse Kurz à imprensa.

Além disso, o chefe de governo austríaco acrescentou que sua ministra das Relações Exteriores, Karin Kneissl, cancelou uma viagem oficial à Rússia prevista para os dias 2 e 3 de dezembro.

Segundo a imprensa austríaca, o militar que está sob suspeita teria recebido 300 mil euros por seus serviços.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas