Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Empresa chinesa faz peças para F-35? Revelação surge em meio a polêmicas envolvendo Huawei

Em meio à briga contínua entre os EUA e a gigante tecnológica chinesa Huawei, classificada como ameaça à segurança por Washington, verificou-se que uma subsidiária com sede no Reino Unido de uma companhia chinesa fabrica peças para os jatos americanos F-35.
Sputnik

Trata-se da companhia chinesa Exception PCB, com sede no condado britânico de Gloucestershire, que fabrica placas de circuitos que controlam os motores, iluminação, combustível e sistemas de navegação dos caças F-35 – o sistema de armas mais caro já feito.

De acordo com a emissora britânica Sky, citando materiais divulgados pelo Ministério da Defesa do Reino Unido, a empresa que fabrica componentes para os caças da Lockheed Martin foi comprada em 2013 pela companhia chinesa Shenzhen Fastprint, que inclusive já participou da fabricação de caças Eurofighter Typhoon e de helicópteros de ataque Apache.

"A Exception PCB, com sede em Gloucestershire, fabrica placas de circuito impresso que controlam muitas das principais capacid…

Rússia desenvolve supercomputador para criar novas armas

A Rússia está desenvolvendo um supercomputador moderno para projetar armas nacionais avançadas, disse Olga Sokolova, diretora-geral do Instituto de Investigação e Produção Científica Molniya, que faz parte do consórcio Kalashnikov.


Sputnik

Sokolova informou à Sputnik que o "trabalho envolve uma grande cooperação" entre grandes empresas científicas russas, entre as quais a ISS Reshetnev, no desenvolvimento de novas tecnologias. 


Processador quântico (imagem de arquivo)
© Fotolia / Tomasz Zajda

O principal objetivo do projeto é passar a efetuar todo o ciclo de desenvolvimento e produção com a ajuda de maquinaria e equipamentos nacionais.

O projeto abrange todas as fases, desde a fase de pesquisa e desenvolvimento até à criação de um protótipo e seus testes, além da manutenção dos armamentos fabricados em série durante sua utilização nas Forças Armadas.

"Começaremos com mísseis-alvo e depois ofereceremos essas soluções para toda a indústria russa. Devo dizer que já temos resultados sérios nesse sentido, mas, por enquanto, não vou divulgar os detalhes. Digo apenas que encontramos compreensão [mútua] entre parceiros e clientes", adicionou Sokolova.

O novo equipamento deverá estar pronto no prazo de cinco anos.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas