Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Putin ameaça retaliar se EUA instalarem mísseis na Europa

Em seu discurso sobre o estado da nação, presidente russo faz ataques a Washington e promete apontar seu arsenal para os Estados Unidos e para o continente europeu se mísseis americanos atravessarem o Atlântico.
Deutsch Welle

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, alertou nesta quarta-feira (20/02) que seu país responderá a um possível envio de mísseis americanos à Europa, fazendo com que não apenas os países que receberem esses armamentos se tornem alvos, mas também os Estados Unidos.


Em seu discurso anual sobre o estado da nação em Moscou, Putin elevou o tom ao comentar uma nova e potencial corrida armamentista. Ele afirmou que a reação russa a um possível envio seria rigorosa e que as autoridades em Washington – algumas das quais estariam obcecadas com o "excepcionalismo" americano – deveriam calcular os riscos antes de tomar qualquer medida.

"É o direito deles de pensar da forma que quiserem. Mas eles sabem fazer cálculos? Tenho certeza que sabem. Deixemos que eles cal…

Teerã: 'são EUA, e não Irã, que estão isolados'

O ministro das Relações Exteriores iraniano, Mohamad Yavad Zarif, indicou, falando sobre as sanções norte-americanas que entraram em vigor hoje, qual dos dois países irá ficar isolado nesta situação.


Sputnik

Ao comentar a última rodada de sanções que os EUA restabeleceram após a retirada do acordo nuclear com o Irã, Zarif também escreveu na sua conta no Twitter que a comunidade internacional não permitirá que "Trump e companhia" destruam a ordem mundial.


Chanceler do Irã Mohammad Javad Zarif
Ministro das Relações Exteriores iraniano, Mohamad Yavad Zarif © AP Photo / Petr David Josek

"Hoje [5 de novembro] os EUA desafiaram a Corte Internacional de Justiça e o Conselho de Segurança da ONU ao reimpor as sanções contra o Irã que afetam as pessoas comuns. Mas o assédio dos EUA é contraproducente […] não porque o JCPOA [acordo nuclear] é importante, mas porque o mundo não pode permitir que Trump e companhia destruam a ordem mundial, são os Estados Unidos, e não o Irã, que estão isolados ", declarou.

Nesta segunda-feira (5), Washington reintroduziu as sanções contra o Irã que existiam antes da assinatura do Plano de Ação Conjunto Global.

Em maio, o presidente norte-americano Donald Trump anunciou que o país abandonaria o acordo nuclear iraniano e reintroduziria todas as sanções contra Teerã, bem como contra os países que têm negócios com Teerã. O primeiro pacote de restrições entrou em vigor em 7 de agosto.

Comentários

Postagens mais visitadas