Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Empresa chinesa faz peças para F-35? Revelação surge em meio a polêmicas envolvendo Huawei

Em meio à briga contínua entre os EUA e a gigante tecnológica chinesa Huawei, classificada como ameaça à segurança por Washington, verificou-se que uma subsidiária com sede no Reino Unido de uma companhia chinesa fabrica peças para os jatos americanos F-35.
Sputnik

Trata-se da companhia chinesa Exception PCB, com sede no condado britânico de Gloucestershire, que fabrica placas de circuitos que controlam os motores, iluminação, combustível e sistemas de navegação dos caças F-35 – o sistema de armas mais caro já feito.

De acordo com a emissora britânica Sky, citando materiais divulgados pelo Ministério da Defesa do Reino Unido, a empresa que fabrica componentes para os caças da Lockheed Martin foi comprada em 2013 pela companhia chinesa Shenzhen Fastprint, que inclusive já participou da fabricação de caças Eurofighter Typhoon e de helicópteros de ataque Apache.

"A Exception PCB, com sede em Gloucestershire, fabrica placas de circuito impresso que controlam muitas das principais capacid…

Trump acusa Arábia Saudita de não saber usar armas americanas no Iêmen

Em entrevista concedida à edição Axios, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou que a Arábia Saudita não sabe como usar o armamento norte-americano no Iêmen.


Sputnik

Em 9 de agosto, as forças da coalizão liderada pela Arábia Saudita usaram uma bomba americana para explodir um ônibus escolar no norte do Iêmen, supostamente matando pelo menos 51 pessoas, incluindo 40 crianças. O líder americano chamou o ocorrido de "situação terrível".


Presidente dos EUA, Donald Trump, reúne-se com presidente russo, Vladimir Putin, no palácio presidencial em Helsinque, 16 de julho de 2018
Donald Trump © Sputnik / Sergey Guneev

"Eu acho que é uma situação terrível. Eu odiei ver o que aconteceu com o ônibus e as crianças […] é um show de horror, quando você vê uma coisa dessas", disse o presidente estadunidense à edição.

Quando questionado se as bombas dos EUA usadas pela coalizão para matar civis o incomodavam, Trump respondeu que, basicamente, "eram pessoas que não sabiam usar a arma, o que é horrível".

"Estamos acompanhando de perto a situação no Iêmen […] mas certamente eu não teria pessoas que não sabem usar as armas, atirando em ônibus com crianças", respondeu quando perguntado sobre se seria possível haver uma interrupção de vendas de armas americanas à Arábia Saudita.

A Arábia Saudita e seus aliados sunitas combatem no Iêmen há mais de três anos contra os rebeldes xiitas. Os rebeldes controlam uma região significativa do norte do Iêmen, incluindo a capital do país, Sanaa.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas