Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Defesa do Brasil tem maior gasto com pessoal na década, e investimento militar cai

Despesas com ativos e inativos crescem R$ 7,1 bi em 2019, reflexo de aumento salarial
Por Igor Gielow e Gustavo Patu | Folha de S.Paulo

A previsão de gasto militar para o primeiro ano de governo do capitão reformado do Exército Jair Bolsonaro (PSL) traz o maior aumento de despesa com pessoal em dez anos e uma redução expressiva do investimento em programas de reequipamento das Forças Armadas.
Não fosse uma criatividade contábil dos militares, que conseguiram recursos com a capitalização de uma estatal para comprar novos navios, a despesa de investimento seria a menor desde 2009.

A Folha analisou a série histórica com a ferramenta de acompanhamento orçamentário Siga Brasil, do Senado. Para este ano, o Ministério da Defesa, ainda na gestão Michel Temer (MDB), planejou gastar R$ 104,2 bilhões, o quarto maior volume da Esplanada.

Desse montante, R$ 81,1 bilhões irão para pessoal, R$ 13,3 bilhões, para gastos correntes (custeio) e R$ 9,8 bilhões, para investimentos. Os valores não incluem o con…

Ucrânia aprova lei marcial após impasse com a Rússia

Decisão acontece um dia depois que a Rússia alvejou e capturou três embarcações ucranianas.


Reuters

O Parlamento da Ucrânia aprovou, na tarde desta segunda-feira (26), a proposta do presidente Petro Poroshenko para introduzir a lei marcial nas partes mais vulneráveis do país a um possível ataque da Rússia. A medida terá validade por 30 dias.

Russia bloqueia passagem sob a ponte de Kerch.  — Foto: ASSOCIATED PRESS
Russia bloqueia passagem sob a ponte de Kerch. — Foto: ASSOCIATED PRESS

No país, essa lei permite uma série de restrições, incluindo limitações de movimentação e assembleia pacífica, toques de recolher e restrições à mídia, embora o decreto de Poroshenko não faça referência específica a tais medidas.

A decisão acontece um dia depois que a Rússia alvejou e capturou três embarcações ucranianas, aumentando acentuadamente as tensões entre os dois países.

Poroshenko afirmou que a captura dos navios foram uma “nova etapa da agressão russa”.

Na mesma sessão, o Parlamento da Ucrânia confirmou as eleições presidenciais para 31 de março.

Decreto

Onze medidas listadas no decreto prevêem a mobilização de forças da reserva, a organização da defesa aérea de importantes instalações estatais e a adoção de passos urgentes para aplicar medidas de cibersegurança e garantir a ordem pública.

O decreto não menciona a eleição presidencial marcada para março. A decisão do presidente tem levantado especulação de críticos e opositores de que ele pode usar a lei marcial para adiar a votação.

A décima segunda medida do decreto não foi publicada.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas