Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Putin ameaça retaliar se EUA instalarem mísseis na Europa

Em seu discurso sobre o estado da nação, presidente russo faz ataques a Washington e promete apontar seu arsenal para os Estados Unidos e para o continente europeu se mísseis americanos atravessarem o Atlântico.
Deutsch Welle

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, alertou nesta quarta-feira (20/02) que seu país responderá a um possível envio de mísseis americanos à Europa, fazendo com que não apenas os países que receberem esses armamentos se tornem alvos, mas também os Estados Unidos.


Em seu discurso anual sobre o estado da nação em Moscou, Putin elevou o tom ao comentar uma nova e potencial corrida armamentista. Ele afirmou que a reação russa a um possível envio seria rigorosa e que as autoridades em Washington – algumas das quais estariam obcecadas com o "excepcionalismo" americano – deveriam calcular os riscos antes de tomar qualquer medida.

"É o direito deles de pensar da forma que quiserem. Mas eles sabem fazer cálculos? Tenho certeza que sabem. Deixemos que eles cal…

Ucrânia 'conta as perdas' após lançamento do gasoduto Turkish Stream

Após o lançamento do gasoduto Turkish Stream (Corrente Turca), o trânsito de gás pelo território da Ucrânia será reduzido em 12-13 bilhões de metros cúbicos por ano.


Sputnik

O chefe do Conselho para a indústria de gás e mercado de gás natural da Ucrânia, Leonid Unigovsky, expressou sua opinião em uma entrevista ao Canal 24.


Turkish stream (Corrente Turca)
© Foto: turkstream.info

"Agora Ucrânia precisa direcionar nossos esforços para impedir a construção da segunda linha da Corrente Turca. Porque então isso reduziria ainda mais o volume do bombeamento de gás através da Ucrânia para a Europa", relatou ele.

Segundo Unigovsky, Kiev precisa atrair parceiros estrangeiros para participar do gerenciamento de seu sistema de transporte de gás, e a prioridade vai para os operadores da Itália, que recebem anualmente 23 bilhões de metros cúbicos de gás através da Ucrânia.

"Mas existem poucas chances de continuar bombeando 70-90 bilhões de metros cúbicos através do nosso sistema de transporte de gás. Seria realista — 40-60 bilhões. Se decidirmos agora a questão dos parceiros estrangeiros", acrescentou ele.

Na véspera (19), a empresa russa Gazprom completou a construção da seção submarina do gasoduto Turkish Stream com mais de 900 quilômetros de comprimento. A seção submarina vai da estação russa de compressores Russkaya, na proximidade de Anapa, pelo fundo do mar Negro, até à costa da Turquia, na área da povoação de Kayakoy.

O chefe do Centro de Estudos de Economia Política do Instituto de Globalização e Movimentos Sociais, Vasily Koltashov, comentou ao serviço russo da Rádio Sputnik o comportamento político da Ucrânia.

"É claro que as autoridades ucranianas não podem parar o processo, não podem influenciar como os projetos estão sendo implantados na indústria do gás — eles não têm tais mecanismos. A única coisa que resta para eles é contar as perdas, deplorar e, ao mesmo tempo, adicionar mais dureza às suas declarações políticas", disse Vasily Koltashov.

Segundo o especialista, a Ucrânia vai tentar de todas as maneiras atrapalhar os projetos de gás russos. Do ponto de vista econômico, todo o comportamento político da Ucrânia é irracional, não é lucrativo. Mas como aqui há interesses dos Estados Unidos e, em parte, da UE, a Ucrânia fará todos os esforços para atrapalhar os projetos de gás russos.

O projeto Turkish Stream prevê a construção de um gasoduto através do mar Negro, que consiste em duas linhas com capacidade de 15,75 bilhões de metros cúbicos cada. A primeira destina-se ao fornecimento de gás aos consumidores turcos, a segunda — aos países do sudeste e do sul da Europa.

De acordo com o plano, todos os trabalhos deverão ser concluídos em dezembro de 2019.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas