Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Putin ameaça retaliar se EUA instalarem mísseis na Europa

Em seu discurso sobre o estado da nação, presidente russo faz ataques a Washington e promete apontar seu arsenal para os Estados Unidos e para o continente europeu se mísseis americanos atravessarem o Atlântico.
Deutsch Welle

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, alertou nesta quarta-feira (20/02) que seu país responderá a um possível envio de mísseis americanos à Europa, fazendo com que não apenas os países que receberem esses armamentos se tornem alvos, mas também os Estados Unidos.


Em seu discurso anual sobre o estado da nação em Moscou, Putin elevou o tom ao comentar uma nova e potencial corrida armamentista. Ele afirmou que a reação russa a um possível envio seria rigorosa e que as autoridades em Washington – algumas das quais estariam obcecadas com o "excepcionalismo" americano – deveriam calcular os riscos antes de tomar qualquer medida.

"É o direito deles de pensar da forma que quiserem. Mas eles sabem fazer cálculos? Tenho certeza que sabem. Deixemos que eles cal…

Ucrânia quer comprar armas diretamente dos EUA

O governo ucraniano está preparando mudanças legislativas para anular intermediários e realizar compras diretas de armamento dos norte-americanos, disse Valeriy Chaly, embaixador da Ucrânia nos Estados Unidos.


Sputnik

Chaly lembrou que na sexta-feira (16), em Washington, decorrerá uma reunião da comissão de parceria estratégica entre a Ucrânia e os EUA na qual serão discutidas questões de cooperação técnico-militar e as ameaças cibernéticas com participação de representantes de ambos os países.


As Forças Armadas da Ucrânia receberam radares norte-americanos de detecção antiartilharia, 14 de novembro de 2015
Militares ucranianos recebendo radares dos EUA © Sputnik / Mikhail Markiv

"Estamos trabalhando agora para garantir que as mudanças na legislação ucraniana permitam a compra direta de armas e equipamentos militares sem intermediários. Essas mudanças podem abrir novas oportunidades para nossa interação com os Estados Unidos", disse o embaixador ucraniano à agência de notícias Ukrinform.

Ao mesmo tempo, ele ressaltou que os EUA também estão interessados em vender armas à Ucrânia.

"Hoje a posição da Casa Branca e de outras estruturas dos EUA é a seguinte: quanto mais armas a Ucrânia comprar dos EUA, mais ajuda direta receberá. Em outras palavras, esses são processos relacionados, e acho conveniente para nós seguir precisamente esse caminho", frisou.

"Há tipos de armas que nós precisamos realmente, mas não as fabricamos, elas existem nos Estados Unidos. Estamos trabalhando nisso. Cada transação e acordo inclui um período preparatório, então acho que veremos o resultado até o início do próximo ano", adicionou Chaly.

Em 2018, a Ucrânia recebeu mais de US$ 40 milhões (R$ 151,3 milhões) em armas letais e outros equipamentos militares dos EUA, Lituânia, Reino Unido e Canadá.

A Rússia alertou reiteradamente sobre os planos para fornecimento de armas à Ucrânia, uma vez que essa medida acarretará uma escalada do conflito em Donbass. A maioria dos políticos europeus se posicionaram contra esses fornecimentos de armas.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas