Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Irã ameaça romper limite de reservas de urânio; entenda o que país pode fazer se sair de acordo nuclear

Sem regulação, país pode adotar equipamentos mais modernos e rápidos e ampliar volume de enriquecimento de material que pode ser usado em armas nucleares. Acordo foi firmado em 2015 entre Irã e mais seis países, mas Trump retirou EUA em maio de 2018.
Associated Press

O Irã anunciou que irá exceder o limite de reservas de urânio determinado pelo acordo nuclear de 2015, ampliando as tensões no Oriente Médio.

O prazo de 27 de junho dado por Teerã vem antes de outra data limite, 7 de julho, para que a Europa apresente melhores termos para que o país permaneça no acordo. Se essa segunda data passar sem nenhuma ação, o presidente iraniano Hassan Rouhani diz que a república islâmica irá provavelmente retomar o alto enriquecimento de urânio.

Veja a seguir em que situação está o programa nuclear do Irã atualmente:

O acordo nuclear

O Irã fechou um acordo nuclear em 2015 com Estados Unidos, França, Alemanha, Reino Unido, Rússia e China. O acordo, formalmente conhecido como Plano de Ação Conjunto Abran…

Venda de 10 helicópteros militares ao Egito passa por aprovação prévia nos EUA

O Departamento de Estado dos EUA aprovou a venda de 10 helicópteros de assalto e apoio terrestre AH-64E Boeing Apache ao Egito, no âmbito de um contrato no valor de 1 bilhão de dólares, ou seja, quase 3,9 bilhões de reais.


Sputnik

A respectiva informação foi comunicada pela Agência de Cooperação de Segurança e Defesa, que integra o sistema de órgãos do Pentágono. Frisa-se, porém, que a compra ainda não foi concretizada.


O helicóptero norte-americano AH-64 Apache
AH-64 Apache © AFP 2018 / Jung Yeon-Je

A entidade também autorizou a venda ao Egito de munições para tanques no valor de US$ 201 milhões (quase R$ 780 milhões), bem como de modernos mísseis ar-ar AIM-120 AMRAAM ao Qatar, no valor de US$ 215 milhões (mais de R$ 830 milhões).

Vale ressaltar que estas vendas ainda têm que passar pelo Senado dos EUA para serem aprovadas, antes de as negociações comerciais começarem.

Já faz tempo que o Egito tentava renovar sua frota de helicópteros, escreve o portal Defense News, mas a possível cooperação com os EUA foi congelada pela administração Obama em 2013, como resposta ao "golpe do Estado" que aconteceu no país. As vendas de armas ao Egito foram reiniciadas, porém, já nos finais de 2014.

A Agência de Cooperação de Segurança e Defesa clarificou que o pacote de equipamentos militares que possivelmente será entregue ao Egito (e que inclui ainda diversos tipos de armamento) servirá inclusive para que o país efetue de modo mais eficiente as suas operações "contra militantes afiliados com o Daesh [organização terrorista proibida na Rússia e em vários outros países] na península de Sinai".

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas