Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Prestes a 'ganhar' território do tamanho da Arábia Saudita, Brasil carece de recursos para defesa

A ONU deve ratificar no próximo mês, o pleito brasileiro em estender sua faixa de águas jurisdicionais em pelo menos 2,1 milhões de km², uma área equivalente à extensão da Arábia Saudita. Para especialista ouvido pela Sputnik Brasil, movimento precisa vir acompanhado de modernização da Marinha.
Sputnik

Como a Sputnik Brasil mostrou em maio, a demanda já dura há pelo menos 30 anos e tem relação com medições técnicas sobre o ponto onde termina o Brasil continental e até onde é lícito explorar as águas do entorno. O mar territorial brasileiro têm atualmente cerca de 12 milhas náuticas (22 quilômetros) na faixa de água e uma zona econômica exclusiva de 200 milhas náuticas (370 quilômetros). Na parte de solo e sub-solo, área na qual o Brasil pleiteia a extensão, há um limite de mais 200 milhas regulamentadas.

Responsável pela proteção da área oceânica, a Marinha brasileira vem desenvolvendo pesquisas na região desde 2004. Os militares já identificaram potencial possibilidade de exploração de …

Aeronave espiã dos EUA teria sobrevoado bases russas na Síria

O voo de reconhecimento foi divulgado depois que o Ministério da Defesa da Rússia declarou no final de outubro que uma aeronave norte-americana P-8 Poseidon estava sob controle manual por cima dos drones que atacaram a base aérea russa em Hmeymim, na Síria, no final de outubro.


Sputnik

A aeronave de patrulha antissubmarino da Marinha dos EUA P-8A Poseidon realizou um voo de vigilância perto da costa da Síria, onde estão situadas a base aérea em Hmeymim da Força Aeroespacial da Rússia e a base naval em Tartus, segundo o rastreador de voos IntelSky.




O P-8A Poseidon com o prefixo 168848 partiu na sexta-feira (7) da base aérea de Sigonella, na Sicília, e sobrevoou por mais de três horas as águas internacionais do Mediterrâneo Oriental, ao longo da costa síria.

O Pentágono não se pronunciou sobre o assunto, mas as aeronaves de reconhecimento dos EUA realizaram repetidamente voos sobre as bases de Hmeymim e Tartus no passado.

Quanto ao ataque contra a base aérea de Hmeymim, o vice-ministro da Defesa russo, Aleksandr Fomin, disse em 25 de outubro que um P-8 Poseidon, equipado com tecnologia moderna, estava em controle manual sobre os drones. Ele acrescentou que os drones foram orientados para voarem a uma determinada distância quando entraram em contato com a barreira eletrônica que protegia o equipamento russo.

No final do ano passado, o ministro da Defesa russo, Sergei Shoigu, anunciou que a Rússia começou a estabelecer uma presença permanente na cidade costeira de Tartus e em Hmeymim, na província vizinha de Latakia, onde afirmou que as Forças Armadas russas estão equipadas com armas modernas "a 59,5%".

A defesa antiaérea da base de Hmeymim é efetuada por avançados sistemas S-400, enquanto os sistemas de mísseis terra-ar S-300, assim como os sistemas de mísseis costeiros, equipados com mísseis de cruzeiro Bastion, protegem a base de Tartus.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas