Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Defesa do Brasil tem maior gasto com pessoal na década, e investimento militar cai

Despesas com ativos e inativos crescem R$ 7,1 bi em 2019, reflexo de aumento salarial
Por Igor Gielow e Gustavo Patu | Folha de S.Paulo

A previsão de gasto militar para o primeiro ano de governo do capitão reformado do Exército Jair Bolsonaro (PSL) traz o maior aumento de despesa com pessoal em dez anos e uma redução expressiva do investimento em programas de reequipamento das Forças Armadas.
Não fosse uma criatividade contábil dos militares, que conseguiram recursos com a capitalização de uma estatal para comprar novos navios, a despesa de investimento seria a menor desde 2009.

A Folha analisou a série histórica com a ferramenta de acompanhamento orçamentário Siga Brasil, do Senado. Para este ano, o Ministério da Defesa, ainda na gestão Michel Temer (MDB), planejou gastar R$ 104,2 bilhões, o quarto maior volume da Esplanada.

Desse montante, R$ 81,1 bilhões irão para pessoal, R$ 13,3 bilhões, para gastos correntes (custeio) e R$ 9,8 bilhões, para investimentos. Os valores não incluem o con…

Alerta: Turquia amplia presença militar na fronteira com Síria (VÍDEO)

Turquia continua ampliando sua presença militar na fronteira com a Síria, na província de Gaziantep. Segundo a agência de notícias Anadolu, uma grande coluna de blindados e de carros militares chegou na região nesta quarta-feira.


Sputnik


Além disso, a agência informou que colunas de blindados, sob um forte esquema de segurança, também foram deslocadas para a província de Hatay, que faz fronteira com Síria.


Ofensiva da Turquia na Síria
Ofensiva da Turquia na Síria © REUTERS / Assessoria de Imprensa das Forças Revolucionárias da Síria

Na semana passada, o presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, declarou que o exército turco se prepara para realizar nos próximos dias uma operação militar contra as Unidades de Proteção Popular curdas na Síria (YPG), ao oriente do rio Eufrates. Segundo Turquia, YPG seria um dos braços armados do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), considerado uma organização terrorista por Ankara.

A Turquia combate o PKK desde os anos 80, quando o grupo exigiu pela primeira vez autonomia para os territórios povoados pelos curdos. Os dois lados chegaram a um cessar-fogo em 2013 para combater a ameaça do Daesh, mas a trégua foi encerrada em 2015, quando o PKK acusou Ancara de bombardear suas posições no Iraque, junto com as do Daesh.


Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas