Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Irã ameaça romper limite de reservas de urânio; entenda o que país pode fazer se sair de acordo nuclear

Sem regulação, país pode adotar equipamentos mais modernos e rápidos e ampliar volume de enriquecimento de material que pode ser usado em armas nucleares. Acordo foi firmado em 2015 entre Irã e mais seis países, mas Trump retirou EUA em maio de 2018.
Associated Press

O Irã anunciou que irá exceder o limite de reservas de urânio determinado pelo acordo nuclear de 2015, ampliando as tensões no Oriente Médio.

O prazo de 27 de junho dado por Teerã vem antes de outra data limite, 7 de julho, para que a Europa apresente melhores termos para que o país permaneça no acordo. Se essa segunda data passar sem nenhuma ação, o presidente iraniano Hassan Rouhani diz que a república islâmica irá provavelmente retomar o alto enriquecimento de urânio.

Veja a seguir em que situação está o programa nuclear do Irã atualmente:

O acordo nuclear

O Irã fechou um acordo nuclear em 2015 com Estados Unidos, França, Alemanha, Reino Unido, Rússia e China. O acordo, formalmente conhecido como Plano de Ação Conjunto Abran…

Alerta: Turquia amplia presença militar na fronteira com Síria (VÍDEO)

Turquia continua ampliando sua presença militar na fronteira com a Síria, na província de Gaziantep. Segundo a agência de notícias Anadolu, uma grande coluna de blindados e de carros militares chegou na região nesta quarta-feira.


Sputnik


Além disso, a agência informou que colunas de blindados, sob um forte esquema de segurança, também foram deslocadas para a província de Hatay, que faz fronteira com Síria.


Ofensiva da Turquia na Síria
Ofensiva da Turquia na Síria © REUTERS / Assessoria de Imprensa das Forças Revolucionárias da Síria

Na semana passada, o presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, declarou que o exército turco se prepara para realizar nos próximos dias uma operação militar contra as Unidades de Proteção Popular curdas na Síria (YPG), ao oriente do rio Eufrates. Segundo Turquia, YPG seria um dos braços armados do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), considerado uma organização terrorista por Ankara.

A Turquia combate o PKK desde os anos 80, quando o grupo exigiu pela primeira vez autonomia para os territórios povoados pelos curdos. Os dois lados chegaram a um cessar-fogo em 2013 para combater a ameaça do Daesh, mas a trégua foi encerrada em 2015, quando o PKK acusou Ancara de bombardear suas posições no Iraque, junto com as do Daesh.


Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas