Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Empresa chinesa faz peças para F-35? Revelação surge em meio a polêmicas envolvendo Huawei

Em meio à briga contínua entre os EUA e a gigante tecnológica chinesa Huawei, classificada como ameaça à segurança por Washington, verificou-se que uma subsidiária com sede no Reino Unido de uma companhia chinesa fabrica peças para os jatos americanos F-35.
Sputnik

Trata-se da companhia chinesa Exception PCB, com sede no condado britânico de Gloucestershire, que fabrica placas de circuitos que controlam os motores, iluminação, combustível e sistemas de navegação dos caças F-35 – o sistema de armas mais caro já feito.

De acordo com a emissora britânica Sky, citando materiais divulgados pelo Ministério da Defesa do Reino Unido, a empresa que fabrica componentes para os caças da Lockheed Martin foi comprada em 2013 pela companhia chinesa Shenzhen Fastprint, que inclusive já participou da fabricação de caças Eurofighter Typhoon e de helicópteros de ataque Apache.

"A Exception PCB, com sede em Gloucestershire, fabrica placas de circuito impresso que controlam muitas das principais capacid…

Analista: EUA reposicionarão suas tropas no Iraque

Ahmed al Sharifi, especialista iraquiano na área de defesa, afirmou que a retirada das tropas norte-americanas da Síria seria uma manobra para transferi-las para bases no país vizinho, no Iraque.


Sputnik

"De acordo com os dados existentes, os norte-americanos já estão expandindo a sua base em Arbil [a quarta maior cidade iraquiana]. Parte das tropas será enviada para a base de Al Asad, entre Bagdá e a fronteira entre o Iraque e a Síria", comentou o especialista à Sputnik Árabe.


Militares americanos no Iraque, foto de arquivo
Militares dos EUA no Iraque © AP Photo / Jim MacMillan

Segundo ele, desse modo os EUA poderão controlar a situação na Síria.

"A justificativa legal para essa operação é o acordo de cooperação entre Bagdá e Washington. Além disso, Washington tem um mandato da ONU emitido no início da operação contra o Daesh [grupo terrorista proibido na Rússia e em vários outros países]", ressaltou al Sharifi.

Por sua vez, o major-general iraquiano Abdul Karim Khalaf disse à Sputnik Árabe que ainda não há nenhuma confirmação oficial sobre a transferência das tropas dos EUA para o Iraque.

Em 19 de dezembro, Donald Trump anunciou a vitória dos EUA contra o Daesh na Síria, destacando que o grupo terrorista era o único motivo pelo qual as tropas norte-americanas se encontravam no país árabe. Posteriormente, a porta-voz da Casa Branca, Sarah Sanders, afirmou que os EUA iniciaram a retirada das forças da Síria, observando que isso não significaria "o fim da luta da coalizão internacional liderada pelos EUA contra o Daesh".

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas