Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Empresa chinesa faz peças para F-35? Revelação surge em meio a polêmicas envolvendo Huawei

Em meio à briga contínua entre os EUA e a gigante tecnológica chinesa Huawei, classificada como ameaça à segurança por Washington, verificou-se que uma subsidiária com sede no Reino Unido de uma companhia chinesa fabrica peças para os jatos americanos F-35.
Sputnik

Trata-se da companhia chinesa Exception PCB, com sede no condado britânico de Gloucestershire, que fabrica placas de circuitos que controlam os motores, iluminação, combustível e sistemas de navegação dos caças F-35 – o sistema de armas mais caro já feito.

De acordo com a emissora britânica Sky, citando materiais divulgados pelo Ministério da Defesa do Reino Unido, a empresa que fabrica componentes para os caças da Lockheed Martin foi comprada em 2013 pela companhia chinesa Shenzhen Fastprint, que inclusive já participou da fabricação de caças Eurofighter Typhoon e de helicópteros de ataque Apache.

"A Exception PCB, com sede em Gloucestershire, fabrica placas de circuito impresso que controlam muitas das principais capacid…

Austrália vai reconhecer Jerusalém como capital de Israel, mas não mudará embaixada

Mesmo sem transferir embaixada, governo australiano alinha posicionamento com Israel e Estados Unidos.


Por G1

A Austrália vai reconhecer formalmente Jerusalém como capital de Israel. Atualmente, o governo australiano reconhece Tel Aviv como principal cidade israelense. A mudança deve ser oficialmente anunciada nesta quarta-feira (12).

Scott Morrison fala na cúpula da Cooperação Econômica Ásia-Pacífico (APEC) em Port Moresby, em Papua-Nova Guiné — Foto: Fazry Ismail/Pool via Reuters
Scott Morrison fala na cúpula da Cooperação Econômica Ásia-Pacífico (APEC) em Port Moresby, em Papua-Nova Guiné — Foto: Fazry Ismail/Pool via Reuters

Entretanto, o governo do primeiro-ministro Scott Morrison negou que vá mover a embaixada de Tel Aviv para Jerusalém, ao menos por enquanto. Em vez disso, a Austrália terá um consulado na cidade disputada por israelenses e palestinos.

Segundo uma fonte ouvida pela rede de televisão australiana SBS, a mudança de sede custaria 200 milhões de dólares australianos.

A ideia havia sido criticada pelo ex-premiê Malcolm Turnbull, antecessor de Morrison. Isso porque a transferência poderia gerar um atrito com a Indonésia, país asiático próximo à Austrália com a maior população muçulmana do mundo.

O presidente indonésio, Joko Widodo, alertou em outubro sobre "sérias preocupações" caso a mudança de embaixada realmente ocorresse.

De Tel Aviv a Jerusalém

Mesmo sem mudar a embaixada, a Austrália se junta aos países que vêm se aproximando de Israel ao reconhecer Jerusalém como a capital.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, reconheceu Jerusalém capital de Israel em dezembro de 2017. Cinco meses depois, a embaixada norte-americana foi transferida para lá. No mesmo mês, a Guatemala também inaugurou a representação do país na cidade disputada.

No Brasil, o presidente eleito, Jair Bolsonaro, afirmou que pretende transferir a embaixada brasileira em Israel para Jerusalém. Em novembro, o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) confirmou a intenção do novo governo de mudar o endereço da embaixada.


Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas