Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Como governo Trump esvaziou resolução da ONU contra estupro em guerras

A oposição do presidente americano, Donald Trump, à legalização do aborto levou ao esvaziamento de uma resolução das Nações Unidas contra o uso de violência sexual como arma de guerra.
BBC News Brasil

Os Estados Unidos retiraram todas as referências a "saúde sexual e reprodutiva" do texto, o que, na prática, reduz o peso da resolução. O documento havia sido submetido pela Alemanha ao Conselho de Segurança da ONU. Estados Unidos, China e Rússia ameaçaram vetá-lo, se fosse mantida a redação original.

O governo Trump se opôs às menções à "saúde sexual e reprodutiva" das mulheres, com o argumento de que esse termo indica apoio ao aborto. Uma versão da resolução que exclui essa frase foi aprovada por 13 votos a 0, com abstenções de Rússia e China.

O embaixador da França nas Nações Unidas, François Delattre, criticou a exclusão do trecho, dizendo que a decisão afeta a dignidade das mulheres.

"É intolerável e incompreensível que o Conselho de Segurança da ONU seja incapaz…

Aviões, helicópteros e mísseis russos confirmam sua eficácia durante operação na Síria

Após sua visita à Síria, o vice-primeiro-ministro russo Yuri Borisov avaliou as capacidades do novo equipamento militar russo usado durante a operação militar na Síria.


Sputnik

Os aviões de combate e helicópteros russos que operam na Síria realizam diariamente até 100 missões contra os terroristas, informou o vice-primeiro-ministro russo Yuri Borisov.


Sistema de mísseis balísticos táticos Iskander-M durante o desfile de equipamento militar no polígono de Alabino no fórum internacional militar Exército 2016
Míssil balístico russo Iskander M © Sputnik / Grigory Sysoev

"A Corporação Unida de Construção Aeronáutica da Rússia, o grupo Vertolety Rossii [Helicópteros da Rússia], a Corporação de Mísseis Táticos e outras entidades da indústria de defesa contribuíram para instalação de uma plataforma técnica e de engenharia no aeródromo de Hmeymim para manter a funcionalidade da aviação. O trabalho coordenado de nossos especialistas garantiu o alto nível de intensidade das operações militares do grupo aéreo, que atingiu 100 decolagens por dia", explicou Borisov.

O vice-primeiro-ministro declarou que os caças avançados russos Su-35 e 30SM superaram três ou quatro vezes os normativos de fiabilidade, não obstante seu uso intenso na Síria.

Borisov sublinhou também que os helicópteros de ataque russos Ka-52, que decolaram pela primeira vez do porta-aviões Admiral Kuznetsov, bem como os bombardeiros estratégicos Tu-160, Tu-95MS e Тu-95МС e aviões MiG-29KUB confirmaram sua eficácia durante a operação militar na Síria.

"O sistema tático-operacional das tropas terrestres Iskander-M e os lança-foguetes múltiplos Tornado-G e Smerch comprovaram igualmente sua eficácia", acrescentou o ministro.

Segundo ele, durante a campanha militar na Síria, as armas russas têm comprovado suas características e vantagens tradicionais – simplicidade de uso e fiabilidade.

A Síria vive um conflito armado desde 2011, tendo no fim de 2017 sido declarada a vitória sobre o Daesh (grupo terrorista proibido na Rússia e em outros países) na Síria e no Iraque, com o apoio da Força Aeroespacial da Rússia, que juntos continuam expulsando os militantes. No momento, a regularização política e a restauração da Síria estão em primeiro plano.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas