Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Defesa do Brasil tem maior gasto com pessoal na década, e investimento militar cai

Despesas com ativos e inativos crescem R$ 7,1 bi em 2019, reflexo de aumento salarial
Por Igor Gielow e Gustavo Patu | Folha de S.Paulo

A previsão de gasto militar para o primeiro ano de governo do capitão reformado do Exército Jair Bolsonaro (PSL) traz o maior aumento de despesa com pessoal em dez anos e uma redução expressiva do investimento em programas de reequipamento das Forças Armadas.
Não fosse uma criatividade contábil dos militares, que conseguiram recursos com a capitalização de uma estatal para comprar novos navios, a despesa de investimento seria a menor desde 2009.

A Folha analisou a série histórica com a ferramenta de acompanhamento orçamentário Siga Brasil, do Senado. Para este ano, o Ministério da Defesa, ainda na gestão Michel Temer (MDB), planejou gastar R$ 104,2 bilhões, o quarto maior volume da Esplanada.

Desse montante, R$ 81,1 bilhões irão para pessoal, R$ 13,3 bilhões, para gastos correntes (custeio) e R$ 9,8 bilhões, para investimentos. Os valores não incluem o con…

China oferece ao mercado míssil balístico antinavio supersônico

A China está promovendo um míssil balístico ultra-rápido, considerado o primeiro de seu tipo no mercado internacional, para compradores que buscam uma dissuasão confiável e acessível contra as ameaças do mar.


Poder Naval

A China Aerospace Science and Industry Corp (CASIC), a maior fabricante de mísseis do país, lançou o míssil balístico antinavio supersônico CM-401, dizendo que é capaz de fazer ataques rápidos e precisos contra embarcações de médio ou grande porte, ou contra alvos em terra.

Míssil balístico antinavio supersônico CM-401 e seu lançador
Míssil balístico antinavio supersônico CM-401 e seu lançador

Ela disse que a arma usa uma “trajetória quase espacial”, o que significa que voa entre 20 e 100 quilômetros acima da Terra, e que manobra em velocidades hipersônicas durante o voo.

O míssil ascenderá a uma certa altitude até que seu alvo seja adquirido. Em seguida, ele entrará em um mergulho terminal ultra-rápido em direção ao alvo, de acordo com a CASIC.

A empresa disse que o CM-401 possui forte poder destrutivo, boa capacidade de penetração e um mix de trajetórias. Acrescentou que o míssil pode ser montado em várias plataformas, como navios ou veículos de lançamento terrestres.

De acordo com a CASIC, o míssil voa a uma velocidade média de 1.360 metros por segundo – 4.900 quilômetros por hora – ou quatro vezes a velocidade do som, durante a maior parte do voo, e atinge uma velocidade máxima de mais de 2.000 m/s, seis vezes a velocidade do som quando se aproxima do alvo. Ele pode carregar uma ogiva de 290 quilos e tem um alcance máximo de ataque de 290 km e uma taxa de acerto de 90%, o que significa que haverá nove ataques efetivos no alvo em 10 tiros.

O conglomerado de defesa estatal tornou público o sistema de mísseis na 12ª Exposição Internacional de Aviação e Aeroespacial da China, realizada recentemente em Zhuhai, província de Guangdong.

Enquanto isso, a China Academy of Launch Vehicle Technology, maior fabricante de foguetes do país, recentemente ofereceu seu míssil balístico antinavio M20B ao mercado internacional.

O M20B também apresenta velocidade supersônica e uma trajetória manobrável. Carregando uma ogiva de 480 kg, o míssil pode atingir um navio de 120 km a 280 km de distância. É adequado para ataques rápidos e precisos contra fragatas e destróieres, disse a academia.

Antes dos CM-401 e M20B, todos os mísseis antinavios disponíveis no mercado internacional eram modelos “sea skimmer” (roça ondas), como os C-802 e CM-302 da China e o Harpoon dos Estados Unidos.

A China é o único país que atualmente atua em mísseis balísticos antinavio. Seus DF-21D e DF-26 são chamados de “trunfos” na guerra naval pelos militares chineses, mas não são permitidos para exportação por causa do alcance de mais de 1.000 km – excedendo as restrições à exportação de mísseis definidas pelo governo chinês.

Wu Peixin, um observador da indústria de defesa em Pequim, disse que os mísseis balísticos antinavio ultra rápidos como o CM-401 podem potencialmente ser revolucionário nas operações navais modernas porque é um alvo muito difícil de interceptar pelos radares de defesa aérea e armas dos navios, devido às suas trajetórias únicas e velocidades hipersônicas. Portanto, os usuários serão capazes de impedir efetivamente que as embarcações de um inimigo, especialmente os porta-aviões, se aproximem da costa, disse Wu.

FONTE: China Daily

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas