Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Os mísseis russos que se tornaram alvo de disputa entre EUA e Turquia

A Turquia, dona do segundo maior Exército entre os 29 países que compõem a Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte), está prestes a adquirir mísseis antiaéreos S-400.
BBC News Brasil

Os S-400 são os mísseis "terra-ar" mais avançados do mundo e se tornaram motivo de uma disputa entre Turquia e Estados Unidos que pode ameaçar a aliança militar das potências ocidentais.

Isso porque os S-400 são fabricados na Rússia, o principal rival da organização fundada em 1949 justamente para se opor à então União Soviética.

A insistência da Turquia em adquirir os mísseis russos irritou os Estados Unidos, que encaram a decisão como uma potencial ameaça para seus aviões de combate F-35, também em vias de serem comprados pelos turcos.
Troca de farpas

"Não ficaremos de braços cruzados enquanto os aliados da Otan compram armas dos nossos adversários", advertiu o vice-presidente dos EUA, Mike Pence, durante um encontro organizado há poucos dias em Washington para celebrar o aniversár…

Coalizão liderada pelos EUA transfere terroristas do Daesh na Síria

A coalizão internacional liderada pelos EUA transferiu terroristas do Daesh da província de Hasakah, na Síria. Recentemente a coalizão já havia deportado um certo número de membros da organização terrorista através do uso de helicópteros saindo da província de Haseke e indo para uma localização não divulgada, segundo a agência de notícias SANA.


Sputnik

"No dia 10 de novembro, os helicópteros da coalizão liderada pelos EUA evacuaradam supostamente três militantes da vila de As-Suwayda na região Nordeste da província de Al-Hasakah em direção a um destino desconhecido", disse a agência síria citando fontes anôminas.


Soldados dos EUA segura uma arma enquanto mantém a guarda de um veículo blindado. A escolta faz parte da comitiva que acompanhou o enviado norte-americano para a coalizão internacional contra o Daesh, Brett McGurk, durante vistia à cidade de Tabqa, na Síria.
Militares dos EUA na escolta do Daesh (Estado Islâmico) na Síria © REUTERS / Rodi Said

A coalizão ainda não se declarou a respeito das informações divulgadas pela agência.

O chefe da divisão política do Exército da Síria, general Hassan Akhmad Hassan, disse mais cedo em entrevista à Sputnik que os EUA e seus aliados apoiam terroristas na Síria ao invés de combatê-los, supervisionando e organizando militantes. Para provar o que afirma, o general trouxe relatórios sobre as liderança do Daesh que afirmam que eles foram evacuados em mais de uma ocasião para locais seguros por aviões e helicópteros norte-americanos.

O Daesh é uma organização terrorista que foi banida do território russo.

No início do mês, Damasco acusou a coalizão liderada pelos EUA por violações das leis internacionais e pela morte de civis em uma carta enviada à ONU, acrescentando que Washington não está combatendo o terrorismo no país. O ministro das Relações Exteriores da Síria exigiu que a ONU lance uma investigação acerca de um ataque aéreo realizado pela coalizão em Deir ez-Zor, no qual 62 pessoas foram mortas e dezenas ficaram feridas.

O documento surgiu em seguida a uma série de bombardeiros na cidade de Hajin, que, de acordo com a agência de notícias SANA, incluiu o uso de fósforo branco. O porta-voz da coalizão, no entanto, negou um uso do material, que é proibido.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas