Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Capacetes brancos preparam novas provocações na Síria, diz enviado russo na ONU

Membros dos Capacetes Brancos estão preparando novas provocações com substâncias tóxicas na Síria, disse o vice-embaixador russo na ONU, Vladimir Safronkov, nesta quarta-feira (24) na reunião do Conselho de Segurança da ONU.
Sputnik

Safronkov observou que os Capacetes Brancos acusariam o governo sírio pelo uso de tais substâncias.

Mais cedo nesta quarta-feira (24), o Major General Viktor Kupchishin, chefe do Centro Russo para a Reconciliação Síria, argumentou que funcionários da mídia estrangeira na província síria de Hama conduziram uma filmagem falsa da "morte" de uma família supostamente devido ao uso de armas químicas pelas tropas sírias.

Em diversas ocasiões, Moscou e Damasco apontaram que os Capacetes Brancos estavam produzindo provocações envolvendo o uso de armas químicas com o objetivo de culpar o governo da Síria e dar aos países ocidentais justificativas para a intervenção no país.
A estratégia de encenar ataques para usá-los como falsa bandeira tem sido usada repetida…

Colômbia revela suposto plano para matar presidente do país

Ministro do Exterior colombiano afirma que as autoridades do país descobriram planos de atentado contra Iván Duque e diz que três cidadãos venezuelanos foram capturados portando "armas de guerra".


Deutsch Welle


O ministro do Exterior da Colômbia, Carlos Holmes Trujillo, afirmou que as autoridades descobriram planos para possível atentado contra o presidente Iván Duque e disse que três cidadãos venezuelanos foram capturados recentemente com armas de guerra.


Presidente da Colômbia, Iván Duque
Presidente da Colômbia, Iván Duque

"Gostaria de informar que a comunidade internacional está se dando conta de que há vários meses investigações de inteligência estavam sendo conduzidas sobre possíveis ataques contra a vida do presidente", afirmou Trujillo, em um vídeo divulgado pelo seu gabinete na madrugada de sábado para este domingo (30/12).

De acordo com o chanceler, "a isto se soma a recente captura de três cidadãos venezuelanos que foram encontrados em posse de armas de guerra, o que aumenta ainda mais as preocupações que as autoridades tiveram neste assunto".

Dois deles foram capturados esta semana em Valledupar, capital do departamento do Cesar, fronteira com a Venezuela, em posse de dois fuzis, e o terceiro foi detido em Barranquilla.

Em relação às prisões em Valledupar, a polícia informou que elas aconteceram depois que agentes descobriram em um ônibus que seguia para Barranquilla, os venezuelanos José Vicente Gómez Ríos e Pedro José Acosta Ovalles. Os dois homens levavam na bagagem dois modernos fuzis.

Sobre o detido em Barranquilla, as autoridades não deram mais informações.

O direitista Iván Duque governa a Colômbia desde agosto. Desde então, a relação para a vizinha Venezuela tem sido tensa. Duque classifica o governo de esquerda da Venezuela de "ditadura" e defende que o novo governo do presidente Nicolás Maduro não seja reconhecido. Maduro, que venceu em maio uma controversa eleição presidencial, toma posse para seu segundo mandato em 10 de janeiro. Maduro acusa Duque e os EUA de apoiarem planos para um "golpe de Estado" contra seu governo.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas