Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Empresa chinesa faz peças para F-35? Revelação surge em meio a polêmicas envolvendo Huawei

Em meio à briga contínua entre os EUA e a gigante tecnológica chinesa Huawei, classificada como ameaça à segurança por Washington, verificou-se que uma subsidiária com sede no Reino Unido de uma companhia chinesa fabrica peças para os jatos americanos F-35.
Sputnik

Trata-se da companhia chinesa Exception PCB, com sede no condado britânico de Gloucestershire, que fabrica placas de circuitos que controlam os motores, iluminação, combustível e sistemas de navegação dos caças F-35 – o sistema de armas mais caro já feito.

De acordo com a emissora britânica Sky, citando materiais divulgados pelo Ministério da Defesa do Reino Unido, a empresa que fabrica componentes para os caças da Lockheed Martin foi comprada em 2013 pela companhia chinesa Shenzhen Fastprint, que inclusive já participou da fabricação de caças Eurofighter Typhoon e de helicópteros de ataque Apache.

"A Exception PCB, com sede em Gloucestershire, fabrica placas de circuito impresso que controlam muitas das principais capacid…

Comando Militar do Norte realiza Operação Keriniutu

No período de 2 a 12 de dezembro do 2018, o Comando Militar do Norte, por intermédio da 22ª Brigada de Infantaria de Selva, empregando tropas do Comando de Fronteira Amapá/34º Batalhão de Infantaria de Selva (CFAP/34º BIS), realizou a operação Keriniutu.


Forças Terrestres


Macapá (AP) – A atividade teve por objetivo controlar a faixa de fronteira, coibindo os crimes transfronteiriços e ambientais. Para isso, foram empregados meios do 4º Batalhão de Aviação do Exército (4° BAvEx) e contou-se com o apoio de outras agências. As ações desencadeadas caracterizaram o “Braço Forte” do Exército Brasileiro.


Durante a operação, foram neutralizados cinco garimpos clandestinos na região do Oiapoque e um na região de Pedra Branca do Amapari, além de três balsas de extração ilegal na calha do Rio Cassiporé. Foram, ainda, apreendidos materiais químicos utilizados para refino de drogas, mercúrio para garimpo e outras ferramentas e maquinários utilizados de forma não regulamentada.

Concomitantemente às operações, a “Mão Amiga” do Exército foi evidenciada por uma ação cívico-social (ACISO), apoiada pela SESAI, FUNAI, IBAMA e Secretaria de Saúde do município do Oiapoque, na comunidade de Kumarumã, na terra indígena Galibi. Durante a ACISO, foram prestados atendimentos médicos e odontológicos, bem como procedida à vacinação e realizados exames de saúde e orientações quanto ao manejo sustentável da flora.

A comunidade em que se deu a ACISO é de difícil acesso e o deslocamento dos meios para a ação só foi possível pelo apoio de aeronaves do 4° BAvEx.

FONTE: Agência Verde-Oliva/CCOMSEx

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas