Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Defesa do Brasil tem maior gasto com pessoal na década, e investimento militar cai

Despesas com ativos e inativos crescem R$ 7,1 bi em 2019, reflexo de aumento salarial
Por Igor Gielow e Gustavo Patu | Folha de S.Paulo

A previsão de gasto militar para o primeiro ano de governo do capitão reformado do Exército Jair Bolsonaro (PSL) traz o maior aumento de despesa com pessoal em dez anos e uma redução expressiva do investimento em programas de reequipamento das Forças Armadas.
Não fosse uma criatividade contábil dos militares, que conseguiram recursos com a capitalização de uma estatal para comprar novos navios, a despesa de investimento seria a menor desde 2009.

A Folha analisou a série histórica com a ferramenta de acompanhamento orçamentário Siga Brasil, do Senado. Para este ano, o Ministério da Defesa, ainda na gestão Michel Temer (MDB), planejou gastar R$ 104,2 bilhões, o quarto maior volume da Esplanada.

Desse montante, R$ 81,1 bilhões irão para pessoal, R$ 13,3 bilhões, para gastos correntes (custeio) e R$ 9,8 bilhões, para investimentos. Os valores não incluem o con…

Coreia do Sul revela 1º protótipo de seu helicóptero de ataque

A Korean Aerospace Industries (KAI) tornou público o seu primeiro protótipo de um novo helicóptero de ataque leve.


Sputnik

O helicóptero está sendo desenvolvido na sede da KAI, em Sacheon, sendo esta a primeira vez que o Estado asiático se dedica a produzir uma aeronave de combate tão avançada.


Korea Aerospace Industries (KAI) lançará protótipo de helicóptero militar leve no próximo mês.

O setor de defesa da Coreia do Sul superou seus principais rivais em diversas áreas-chave, podendo se citar como exemplo a notável qualidade dos seus destróieres da classe Sejong, o Grande, do tanque K2 Black Panther e dos jatos de treinamento T-50.

O país nunca desenvolveu um projeto tão complexo como o deste helicóptero de combate, o que representa um grande passo à frente, pois o país já havia demonstrado a sofisticação de seus outros helicópteros militares não destinados a combate, segundo a revista Military Watch.

Com a fabricação de seu próprio helicóptero de ataque, a Coreia do Sul poderia reduzir a grande dependência dos equipamentos americanos, como os helicópteros Apache, que foram adquiridos em grande quantidade e de acordo com um contrato multibilionário.

Devido ao sucesso de outros sistemas de armas sul-coreanos no mercado global de armamentos, que superaram os ocidentais, inclusive vendendo seus equipamentos em quantidades significativas a países membros da OTAN, muito provavelmente o novo helicóptero de ataque leve sul-coreano terá sucesso no mercado, já que possuiria um preço mais acessível do que o helicóptero norte-americano Apache. Entre os potenciais clientes estariam os países do Leste Europeu e as Filipinas.

A Coreia do Sul vem aumentando seu poder de combate e o novo helicóptero demonstra a capacidade tecnológica do país, que neste ano ocupou o 5º lugar no ranking das potências militares.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas