Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Capacetes brancos preparam novas provocações na Síria, diz enviado russo na ONU

Membros dos Capacetes Brancos estão preparando novas provocações com substâncias tóxicas na Síria, disse o vice-embaixador russo na ONU, Vladimir Safronkov, nesta quarta-feira (24) na reunião do Conselho de Segurança da ONU.
Sputnik

Safronkov observou que os Capacetes Brancos acusariam o governo sírio pelo uso de tais substâncias.

Mais cedo nesta quarta-feira (24), o Major General Viktor Kupchishin, chefe do Centro Russo para a Reconciliação Síria, argumentou que funcionários da mídia estrangeira na província síria de Hama conduziram uma filmagem falsa da "morte" de uma família supostamente devido ao uso de armas químicas pelas tropas sírias.

Em diversas ocasiões, Moscou e Damasco apontaram que os Capacetes Brancos estavam produzindo provocações envolvendo o uso de armas químicas com o objetivo de culpar o governo da Síria e dar aos países ocidentais justificativas para a intervenção no país.
A estratégia de encenar ataques para usá-los como falsa bandeira tem sido usada repetida…

Decisão de Trump sobre a Síria é definitiva, diz Casa Branca

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, não mudará sua decisão sobre retirar as tropas norte-americanas da Síria, apesar da renúncia do secretário de defesa e oficiais de alto escalão, disse neste domingo (23) Mick Mulvaney, chefe de gabinete em exercício na Casa Branca.


Sputnik

"Não, eu acho que o presidente disse às pessoas desde o começo que ele não quer que fiquemos na Síria para sempre. Você está vendo o resultado final agora de dois anos de trabalho. Lembre-se, não é incomum um presidente perder membros do gabinete por causa desses tipos de desentendimentos", disse Mulvany à emissora ABC News quando perguntado se o presidente poderia reverter a decisão.

Presidente dos EUA, Donald Trump
Donald Trump © Sputnik / Serguey Guneev

Na quinta-feira (20), o secretário de Defesa Jim Mattis, em uma carta de renúncia, disse que deixaria o cargo no final de fevereiro, citando o fato de que Trump precisava encontrar um chefe de Defesa cujas opiniões estivessem com opiniões mais próximas às dele mesmo.

A renúncia de Mattis veio um dia após a Casa Branca ter dito que os Estados Unidos estavam retirando tropas da Síria, planos que o chefe de defesa deixou anteriormente como um "erro estratégico".

A mudança inesperada para a saída da Síria tem sido amplamente criticada por muitos legisladores dos EUA, que argumentaram que a medida prejudicaria a segurança dos EUA e doaria a região à Rússia, Irã e Síria.


Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas